A história da mãe que gestou um bebê sem cérebro apenas para poder doar seus órgãos

Keri Young descobriu que a filha era anencéfala e mesmo assim decidiu seguir com a gestação como um gesto de amor ao próximo

Keri Young com Eva e a família (Foto: reprodução/ Facebook)

No final de 2016, a americana, Keri Young, teve uma atitude corajosa quando ficou sabendo que o bebê que estava gestando não tinha cérebro. Ela decidiu levar a gravidez até o final para que pudesse doar os órgãos da filha assim que ela nascesse. O que pode parecer meio fúnebre para alguns, para Keri era o início de muitas outras vidas.

-Publicidade-

Através do seu Facebook, ela contou sobre o caso da filha: “Esse é o coração perfeito de nossa filha. Ela tem pés e mãos perfeitos. Ela tem rins perfeitos, pulmões perfeitos e um fígado perfeito. Infelizmente, ela não tem um cérebro perfeito. Nós descobrimos recentemente que ela apresenta anencefalia e está em situação terminal”.

Keri confessou que a decisão de continuar grávida não foi fácil, havia a opção de abortar a criança, mas ela e o marido resolveram levar a gestação adiante para que os órgãos dela pudessem ser doados. Com isso, seu nome foi decidido: Eva.

-Publicidade-

A postagem causou grande comoção no mundo todo e sua história foi divulgada em inúmeros veículos de comunicação. Todos passaram a acompanhar a vida de Eva pelo Facebook da mãe e começaram a torcer por ela.

Tão logo descobriram que ela era anencéfala, os pais marcaram uma reunião com uma instituição especializada em doar órgãos e nos exames gestacionais, descobriram que seus rins, válvulas cardíacas, fígado, pâncreas e olhos poderiam ser doados, o restante, como seus pulmões, poderiam ser doados para pesquisas.

O casal se preparou para nas próximas 20 semanas continuar a gestação e se preparar para a eventual perda da filha, fantasiando com o curto momento em que poderiam ser pais. Mas faltando 2 semanas para o parto, o pior aconteceu: Eva não aguentou e acabou falecendo. Quando tudo parecia perdido, uma boa notícia apareceu: acharam um receptor para os olhos de Eva e ela conseguiu cumprir o papel de heroína que foi predestinada a ser.

Leia também: 

Mãe desabafa sobre filha que nasceu com anencefalia e o relato é emocionante

Doação de órgãos de pelúcia: maneira divertida de ensinar as crianças

Mãe decide doar órgãos de bebê de 3 meses e salva menina de 1 ano

-Publicidade-