Notícias

Mãe abandona filha de 4 anos na creche e não volta para buscá-la

"Ela disse que não queria mais a filha na frente da menina", disse conselheiro tutelar sobre o abandono

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Na segunda-feira, uma menina de 4 anos foi abandonada pela mãe na creche, em Maringá. A mulher, de 18 anos, disse para a diretora que não voltaria para buscar a filha, após deixá-la no local. A mãe ainda sugeriu que a diretora ligasse para a avó da menina, que poderia abrigá-la. Porém, a avó informou por um bilhete que não teria condições de ficar com a neta.

A salvação veio da vizinha da avó, que levou a criança para sua casa e denunciou a mãe para o Conselho Tutelar. O conselheiro, Carlos Bonfim, relatou que a mãe foi fria em todo o processo: “Ela disse que não queria mais a filha na frente da menina”. O conselheiro ainda disse que a mulher aparentava certo descontrole emocional.

Além da menina, a mãe tem um bebê de 1 ano e 2 meses e estaria grávida de 2 meses. Ela divide a casa com o companheiro e os sogros. Estes três não querem que a menina more com eles e ofereceram o aluguel de um imóvel para que ambas morassem juntas, o que foi negado pela mulher.

A criança foi acolhida pelos tios maternos. O casal disse ao Conselho Tutelar que ela foi rejeitada pela mãe desde que nasceu e que na certidão não consta o nome do pai. Os tios já cuidaram dela por dois anos, porém ela retornou aos cuidados da mãe. A partir de agora, a criança vai morar com o casal e terá acompanhamento psicológico. O Conselho Tutelar pode conceder a guarda aos tios.

“Apesar de ser criança, ela sente a rejeição e comentou com a tia que, se tivesse pele e olhos claros, como os filhos do parceiro da mãe, pudesse ser aceita pela família”, disse o conselheiro.

A mãe, que responderá por abandono de incapaz, já tinha procurado o Conselho Tutelar e afirmou dificuldades para criar a filha, declarando que gostaria que a avó assumisse o papel.

Leia também:

Mãe faz apelo: “parem de perguntar quando terei filhos”.

Relato de mãe: “Descobri que deveria preparar meu filho para a minha ausência”.

Mariana Ferrão desabafa sobre depressão pós-parto: “Nos sentimos isoladas quando viramos mãe”.