Um dia após dar aulas presenciais, professora grávida morre de covid-19

Juliana Daletezze dos Reis não tinha comorbidades e morreu após um dia de voltar as aulas presenciais no Mato Grosso

Resumo da Notícia

  • Juliana Daletezze dos Reis, de 30 anos, estava grávida de 5 meses e morreu de covid-19, após um dia de voltar as aulas presenciais e não tinha tomado a vacina
  • Após passar mal na escola, foi ao hospital e viram que o seu pulmão estava comprometido precisando ser intubada. Depois de 24h estava morta
  • Ela não tinha comorbidades

Juliana Daletezze dos Reis, de 30 anos, estava grávida de 5 meses e morreu por causa da covid-19, no sábado dia 17 de julho, mesmo não tendo nenhuma comorbidade. A professora morava em Paranatinga, no Mato Grosso, não tinha tomado a vacina e as aulas voltaram no modo presencial um dia antes. Ela passou mal no fim dia, foi ao hospital e 24 horas depois não estava mais viva.

-Publicidade-
Juliana estava grávida de 5 meses e não tinha comorbidades. (Foto: Reprodução/ G1/ Divulgação)

Durante o trabalho, os familiares afirmaram receberem mensagens dela dizendo estar se sentindo cansada e que iria ao hospital, após as aulas. Quando chegou na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o resultado foi positivo para o novo coronavírus e por causa do comprometimento do pulmões ocorreu a intubação imediata.

Juliana teve complicações respiratórias e não resistiu, deixando um filho de 5 anos e o marido. Era professora na educação infantil e ensino fundamental em uma escola particular da cidade.

O Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público (Sintep-MT) publicou uma nota lamentando a morte da educadora:

“Manifestamos nossas mais profundas condolências à família e amigos da professora Juliana. Casos como o dela não são apenas mais um número. São pessoas com famílias, sonhos pela frente. Essa fatalidade reforça ainda mais nossa defesa pela vida. Expor os profissionais da educação dentro do ambiente escolar com aulas presenciais, sem que todos estejam imunizados, é risco de vida”.