BBB20: Gizelly se emociona ao lembrar trauma de infância e mãe dela desabafa nas redes: “Tenho até vergonha”

A advogada explicou que ficou nervosa ao relembrar as falas de Babu sobre Daniel no jogo da discórdia feito na última segunda-feira, 6 abril

Resumo da Notícia

  • Gizelly Bicalho revelou ter sido vítima de violência doméstica na infância durante uma conversa com Thelma
  • O momento que deixou Gizelly chateada foi quando Babu disse que sentiu vontade de dar uns cascudos no Daniel
  • O assunto gerou muita repercussão na internet e a mãe da participante se pronunciou
Gizelly fala sobre sua infância para Thelma (Foto: Reprodução / Instagram @gizellybicalho)

Nesta terça-feira, 7 abril, Gizelly Bicalho, participante do BBB20, revelou ter sido vítima de violência doméstica na infância durante uma conversa com Thelma. A advogada explicou que ficou nervosa ao relembrar as falas de Babu sobre Daniel no jogo da discórdia na segunda-feira, 6 abril.

O momento que deixou Gizelly chateada foi quando Babu disse que sentiu vontade de dar uns cascudos no Daniel. “Eu ouvi uma frase aqui que me doeu muito, que estava o Prior e o Babu conversando na cozinha, e o Babu disse que, se fosse lá fora, daria dois cascudos no Dani. Essa fala me doeu muito”, disse a advogada. “Eu surtei porque a minha mãe falou ‘não diz que eu apanhava de seu pai’, e eu sofri violência doméstica quando era criança. É um gatilho dentro de mim”, contou Gizelly.

Thelma opinou sobre as questões da participante. “Super respeito seus gatilhos, mas de verdade não foi intenção dele. De todos os homens que passaram aqui, ele sempre falou que super estava aberto para conversar. Ele poderia ter pensado melhor se você tivesse apontado para ele. Da mesma forma quando as pessoas falavam, ‘eu te tenho medo de ir na cozinha quando tá o Babu’. Eu estaria chateada se eu ouvisse que as pessoas têm medo da Thelma”, comentou.

O assunto gerou muita repercussão na internet, e de acordo com a UOL, a mãe da participante se pronunciou sobre o ocorrido. “Eu era muito agredida pelo pai dela, tenho vergonha de falar sobre isso, mas já que o Babu é muito agressivo e meteu o dedo na ferida da Gizelly, preciso explicar por que ela não pode ouvir falar em violência. Ele me batia desde quando ela estava no meu ventre. E hoje eu sou muito revoltada porque naquele tempo não existia nenhuma lei que amparasse as mulheres”, disse.

Márcia, se casou aos 19 anos e sofreu violência física e psicológica. O marido morreu quando ela tinha 27 anos e Gizelly ainda era uma criança, de 6 anos. “Se ele estivesse vivo eu teria 30 anos de casada. Mas ele ia chegar a um limite de me matar. Tudo era motivo para ele partir para a agressão: se eu tivesse ciúme dele, ele me agredia. Ele me batia no rosto, eu ficava 15 dias com o olho roxo e a Gizelly via tudo. Para mim, só o fato de ela estar viva, já a torna mais do que uma vencedora. Mas ele era um bom pai, não batia nela, mas me batia na frente dela. Se ele chegasse tarde à noite e eu perguntasse por que ele demorou, ele me batia. E como ele pagava as contas, me dizia que quem mandava era ele. Nunca fiz uma denúncia porque ele me ameaçava, ele dizia que se eu fosse procurar a polícia, ele me matava ou matava alguém da família”, completa.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!