Engravidar

Hospital é o primeiro no Brasil a apontar chances de sucesso em fertilização in vitro

Saiba quais mulheres podem usar o recurso

Nathália Martins

Nathália Martins ,Filha de Sueli e Josias

(Foto: iStock)

(Foto: iStock)

Já está claro que, nem mesmo no mundo da maternidade, as coisas não são mais como antigamente. As mulheres estão optando por ter filhos cada vez mais tarde e uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE comprovou isso. Em 2005, 22,5% das mulheres eram mães com 30 a 39 anos, mas em 2015, esse número subiu para 30,8%.

Esse fato fez com que o número de embriões congelados aumentasse cerca de 17% em 2017 em relação ao ano anterior, de acordo com dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Além disso, as mulheres que costumam recorrer à fertilização in vitro já têm mais de 35 anos.

Pensando nisso, o Hospital Albert Einstein, em São Paulo, disponibilizou um método que analisa as chances da mulher ter sucesso no tratamento de fertilização in vitro. O Einstein é o primeiro hospital no país que está disponibilizando esse recurso, nomeado como PGT-A.

Quem pode usar:

Mulheres acima de 35 anos

Mulheres que tiveram 1 ou mais abortos espontâneos durante o primeiro trimestre

Casais que não tiveram sucesso com fertilização in vitro

Casais que já tiveram uma gravidez com anomalia cromossômica

Casais em que o homem que apresenta infertilidade

Casais que querem reduzir a chance de ter gêmeos ou outros nascimentos múltiplos

Para mais informações acesse o site: www.einstein.br

Leia também:

Inseminação artificial x Fertilização in vitro: qual a diferença?

Antes tarde do que nunca: homem recorre a fertilização in vitro e vira pai aos 45 anos