Mãe ganha processo contra chefe após comentários desrespeitosos no trabalho

Clerk Bianca King, de 31 anos, foi vítima de críticas por parte do colega de trabalho durante e após a gravidez, além de ter alguns direitos negados

Resumo da Notícia

  • Mulher ganha processo contra chefe após desrespeito no trabalho
  • Ela ouviu comentários negativos, além de não ter os direitos atendidos
  • Após ganhar o processo, ela fez um desabafo para empoderar mulheres

Clerk Bianca King, mãe solo de 31 anos, foi às lágrimas após ouvir do chefe no trabalho um comentário desrespeitoso ao contar que estava grávida. A mulher foi bloqueada dos acessos da empresa ao sair para um feriado antes da licença-maternidade e nunca mais retornou.

-Publicidade-
Toda lei importa! Conheça seus direitos como mãe desde o teste positivo até depois do nascimento
Mãe ganha processo após não ter os direitos atendidos no ambiente de trabalho (Foto: Getty Images)

Depois de dar à luz Winter Ivy, a mulher foi contatada para dizer que o contrato de trabalho estava sendo encerrado, porque todos os profissionais estavam migrando para o status de trabalhadores independentes.

Com a decisão, ela decidiu ir a um tribunal, que determinou que ela foi a vítima da situação, alegando inclusive que foi interessante que essas atitudes foram tomadas logo após o anúncio da gravidez, quando ela tinha direito à licença-maternidade.

Em entrevista ao The Sun, Bianca desabafou: “O jeito que eu fui tratada foi absolutamente terrível, mas eu só quero dizer para qualquer outra pessoa que foi vítima no trabalho, qualquer mulher, para nunca desistir, que elas também são capazes de algo assim”.

Além da questão contratual, ela ainda disse que ouviu do chefe que ela deveria estar “se divertindo muito ultimamente”, depois dele atender o pedido dela para ter folga no feriado e ainda comentou que a mulher era “atrevida” por pedir isso.

Depois do nascimento da filha, ela não recebeu o pagamento correto da licença e, alega que foi “largamente ignorada” quando solicitou ajuda. Por essa questão, ela nunca voltou ao trabalho. Com o ganho do processo – que ainda pontuou deterioração na saúde da mãe por conta desta situação, a mulher recebeu £ 15.009 (cerca de R$ 95 mil).