Garota de 12 anos precisa amputar a mão depois de acidente dentro de casa

Vienna Hayers dança desde os 2 anos e tem o próprio trampolim. Ela estava praticando quando caiu em cima do braço e quebrou o cotovelo. O sangue parou de circular na área, que precisou ser removida

Resumo da Notícia

  • Garota de 12 anos precisa amputar a mão
  • Ela estava dançando no trampolim que fica na casa onde mora
  • Ela caiu em cima do braço e quebrou o cotovelo
  • Com a queda, o sangue parou de circular e deixou de chegar à mão, que precisou ser amputada
Garota precisa amputar a mão devido à acidente (Foto: reprodução The Sun / Just Giving)

Uma menina de 12 anos teve a mão amputada após um acidente em um trampolim. Vienna Hayers, de Bedford, Inglaterra, estava dando uma cambalhota no trampolim que ficava no jardim da casa onde morava quando ela caiu, apoiando o peso do corpo completamente sobre braço, quebrando o cotovelo.  A entusiasta da dança passou por várias operações para tentar salvar a mão antes da amputação, mas o acidente não pôde ser revertido, pois o sangue não fluía para o local.

-Publicidade-

“Foi apenas um acidente. Foi uma pena. Ela é uma criança muito, muito ativa, muito alegre, adora dançar, é apenas um acidente esquisito”, disse Gary, o pai da garota, ao jornal The Sun. Gary, que só foi autorizado a visitar Vienna uma vez, devido ao coronavírus, acrescentou: “Ela está desesperada para voltar para casa, para começar a recuperação mental. Eu já comecei a adaptar seu ambiente de vida para fazê-la sorrir quando ela voltar para cá”.

Ainda de acordo com o pai, a garota sabia o que estava fazendo, uma vez que faz aulas de dança desde os dois anos e estava acostumada a ter cerca de 11 aulas por semana, incluindo balé, teatro moderno e musical. Apesar do acidente, Vienna continua perseverante e pretende voltar à atividade assim que puder.  “Voltarei a dançar antes que você perceba”, disse ela do Hospital Great Ormond Street, em Londres, ao The Sun.

-Publicidade-

A força da garota tem sido um exemplo para os pais. Gary contou que admira a forma na qual a filha está lidando com a situação e confessou que não sabia se teria a mesma força caso fosse a vítima do acidente. “Ela estava me tranquilizando e me pedindo para não chorar e apenas ser imensamente corajosa. A fotografia que foi compartilhada online dela sentada com um grande sorriso no rosto foi tirada pouco antes de sua operação. Eu não sei se eu estaria sorrindo assim”, contou. Os médicos que estão cuidando de Vienna estimam que a garota conseguirá voltar a prática antiga após um “ciclo de dois anos”.

-Publicidade-