Especiais

“Você precisa ter uma vida além do seu filho”, afirma Vera Iaconelli

A psicóloga fechou nosso ciclo de palestras no 6° Seminário

Jennifer Detlinger

Jennifer Detlinger ,Filha de Lucila e Paulo

(Foto: Gustavo Morita)

Nossa cultura vai na contramão da maternidade (Foto: Gustavo Morita)

A psicóloga Vera Iaconelli, mãe de Gabriela e Mariana, fechou o nosso ciclo de palestras no 6° Seminário Internacional Pais&Filhos, “Maternidade Muda Tudo (ainda bem!)”, falando sobre a maneira de encarar as mudanças que chegam com a maternidade. “A gente sabia que iria mudar depois da maternidade, mas não que seria tanto e nem como”, começou.

Segundo Vera, nós vivemos em uma cultura atual que vai na contramão da maternidade. “Ela é a base da nossa existência, mas parece que não temos muito espaço para acolhimento, reflexão e apoio para as mães”, afirmou.

A especialista ainda jogou luz sobre a dificuldade que os pais têm em lidar com as mudanças que chegam junto com uma gravidez ou com o nascimento dos filhos. “A gente quer tudo previsto e garantido. Na nossa cultura, estamos fazendo isso de um jeito tão obsessivo, que fica difícil viver. Em vez de deixar rolar, ficamos obcecados pela perspectiva do controle”, explica. 

(Foto: Gustavo Morita)

Mulher e homem precisam saber dividir seu papel da melhor forma para a família (Foto: Gustavo Morita)

Vera também falou sobre a questão da culpa que atinge grande parte dos pais. “Com essa vontade estar no controle, tudo que acontece, achamos que é nossa culpa. Ficamos achando que temos o poder e a responsabilidade pelas mudanças que virão. Mas a gente não tem. Por isso, precisamos começar a encarar as mudanças a partir de outra perspectiva”, afirma.

“A gente tem uma fantasia de previsão do tempo mesmo. Os pais acham que vão estudar bastante e, dessa forma, conseguir prever as questões da parentalidade. Mas na realidade, isso não vai te prevenir e prepararas para as mudanças”, explica.

Durante a palestra, Vera também falou sobre a importância de saber dividir os papéis como homem, mulher, pai ou mãe e casal. “Muitos pais estão achando que a vida como casal é uma afronta à criança. Mas é preciso encontrar um espaço para si, tanto como casal, quanto como homem e mulher. Se você abre mão do restante da sua vida de uma forma muito radical, significa que maternidade é tudo. E mais tarde, ele vai pensar que ser filho é tudo também — e dessa forma, não vai ter coragem para sair de casa, por exemplo. É preciso ter uma vida para além do filho”, finalizou.

Leia também:

Patrícia Macedo anuncia lançamento de nova plataforma da Huggies

“Quando você compra de uma mãe, você está ajudando a sustentar uma família”, diz Ana Fontes

“Crianças estimuladas são melhor sucedidas”, explica o Ministro Alberto Beltrame