Cantor Genival Lacerda morre aos 89 anos vítima da Covid-19

O artista estava internado desde 30 de novembro pela doença no no Hospital da Unimed. Infelizmente o ícone do forró não resistiu

Resumo da Notícia

  • Nesta quinta-feira, 7 de janeiro, o cantor Genival Lacerda faleceu aos 89 anos em Recife, em decorrência de complicações da Covid-19
  • A informação foi confirmada pelo filho do artista, João Lacerda
  • O artista foi internado no dia 30 de novembro de 2020, no Hospital Unimed I, na Ilha do Leite, na área central da capital pernambucana

Nesta quinta-feira, 7 de janeiro, o cantor Genival Lacerda faleceu aos 89 anos em Recife, em decorrência de complicações da Covid-19. A informação foi confirmada pelo filho do artista, João Lacerda, que em breve post nas redes sociais escreveu: “Painho faleceu”.

-Publicidade-

O artista foi internado no dia 30 de novembro de 2020, no Hospital Unimed I, na Ilha do Leite, na área central da capital pernambucana. Com Covid-19, ele foi levado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Ele faleceu nesta quinta-feira, 7 de janeiro ( Foto: Alexandre Belém/JC Imagem/Estadão Conteúdo/Arquivo)

No dia 4 de janeiro, Genival Lacerda teve uma piora no quadro de saúde, segundo o boletim divulgado pela família. Na última quarta-feira, 6 de janeiro, a família havia iniciado uma campanha de doação de sangue para o cantor.

Em 26 de maio de 2020, Genival Lacerda havia sofrido um Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVC) e deu entrada no Hospital d’Ávila, na Zona Oeste da capital pernambucana. Recuperado, ele teve alta três dias depois de ser internado.

De acordo com a assessoria de imprensa do cantor, o corpo do artista deixa o Recife por volta das 13h e segue para ser sepultado em Campina Grande, ao lado do da mãe de Genival, Severina Lacerda. Genival deixou dez filhos, além de netos e bisnetos.

Vacinação em São Paulo

O secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn divulgou que a vacinação contra o coronavírus terá início no dia 25 de janeiro. A decisão foi tomada após uma reunião com os novos prefeitos eleitos pelas cidades.

Mas para que o prazo seja, de fato, cumprido ainda é necessário uma autorização de uso emergencial ou registro da vacina CoronaVac em conjunto com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A reunião com a Agência foi agendada para a próxima quinta-feira (07). Nela serão apresentados os documentos e dados sobre a eficácia da vacina.

As questões técnicas sobre a campanha de imunização ainda devem ser discutidas nesta quarta-feira (06). No plano, a aplicação da vacina é prevista em duas doses, com intervalo de 21 dias entre a primeira e a segunda.

A vacinação deve começar no dia 25 de janeiro (Foto: Unsplash)

O público-alvo se mantém pessoas acima de 60 anos, trabalhadores da área de saúde, indígenas e quilombolas (que representam juntos 9 milhões de paulistas). Segundo os dados divulgados, essas populações representaram 77% das mortes na região, justificando a prioridade.

Assim, os trabalhadores de saúde, indígenas e quilombolas receberão a partir do dia 25. Os idosos com 75 anos ou mais terão a partir de 8 de fevereiro; já os que têm entre 70 a 74 anos poderão receber no dia 15 de fevereiro; as pessoas de 65 a 69 anos, 22 de fevereiro e entre 60 e 64 anos, 1 de março.

As vacinas, produzidas pela farmacêutica chinesa Sinovac Life Science em conjunto com o Instituto Butantan serão oferecidas gratuitamente, de segunda a sexta-feira das 7h às 22h e nos finais de semana e feriados das 7h às 17h. Ao todo, serão 10 mil postos de vacinação e outras 5.200 salas em escolas, quartéis da PM, estações de trem, terminais de ônibus e via drive-thru.