Laqueadura: saiba mais sobre o procedimento feito por Simone para não engravidar

O bloqueio impede que o espermatozóide chegue ao óvulo durante a ovulação. A cantora falou sobre a opção nas redes sociais e nós te explicamos tudo que você precisa saber sobre o tema

Resumo da Notícia

  • Simone contou nas redes sociais que após cesárea de Zaya ela fez uma laqueadura
  • O procedimento consiste no bloqueio das tubas uterinas, impedindo que o espermatozóide chegue ao óvulo
  • Entenda como o procedimento é feito, se há reversão, os riscos da cirurgia, o custo e mais

Simone, da dupla com Simaria, comentou nas redes sociais que após a cesárea de Zaya, fruto do relacionamento com Kaká Diniz, ela fez uma laqueadura, que consiste no bloqueio das trompas de Falópio, impedindo que o espermatozóide chegue ao óvulo, evitando uma possível gravidez. A cantora além da recém-nascida é mãe de Henri, de 6 anos.

-Publicidade-
Simone disse que fez laqueadura das trompas após cesárea de Zaya (Foto: Reprodução/ Instagram)

A cantora respondeu a questão na caixa de perguntas nos stories do Instagram. “Fez laqueadura?”, disse um internauta. Simone respondeu que sim e colocou um emoji de duas mãos para cima, como gesto de gratidão. A musicista ainda disse que está pensando em fazer uma lipoaspiração. “Ver como vai ficar o pós-parto, aí vou decidir”, explicou ela.

Laqueadura: saiba mais sobre o procedimento

Ser mãe é uma decisão superimportante e que precisa ser pensada com muito carinho. Ao falarmos da laqueadura, ou ligadura tubária, como um método contraceptivo, por exemplo, a segurança pode chegar em até 99% de eficácia, mas caso haja algum tipo de arrependimento após a cirurgia, as chances de reversão são baixas e pode ser necessário optar por outros métodos para poder engravidar novamente.

  • O que é a laqueadura?

É um procedimento de esterilização que interrompe o fluxo das trompas, não deixando que o espermatozoide chegue ao óvulo durante a ovulação. Segundo a especialista, pode ser feito a partir de um corte ou amarrando a tuba uterina. Dessa maneira, a mulher não consegue engravidar.

  • Como a laqueadura é feita?

Existem dois tipos de procedimentos de laqueadura, a abdominal e a vaginal. No primeiro caso, Fernanda comenta que o pequeno corte abdominal pode utilizar a mesma cirurgia da cesárea, por exemplo. Outra opção é a videolaparoscopia, que é minimamente invasiva e feita a partir de uma endocâmera no abdômen.

No caso da laqueadura vaginal, é possível realizar a colpotomia, uma incisão feita pelo fundo-de-saco por trás da vagina, ou a histeroscopia, que é o acesso às trompas através da cavidade uterina. Em ambos os casos, é necessário internação e também o uso de anestesia.

A laquedura interrompe o fluxo das trompas, não deixando que o espermatozoide chegue ao óvulo durante a ovulação (Foto: Getty Images)
  • Existe algum risco na cirurgia?

Como todo procedimento cirúrgico, é comum que existam riscos, inclusive na laqueadura. Fernanda cita os principais como: falha do tratamento, infecção e também o sangramento durante a cirurgia.

  • Como é a recuperação da laqueadura

Após o procedimento, é essencial seguir alguns cuidados para que não hajam complicações na laqueadura como, por exemplo, evitar o contato íntimo, não realizar tarefas pesadas como atividades físicas ou limpeza da casa. Contudo, para uma boa cicatrização, a alimentação saudável é indispensável e também caminhadas leves, sempre com a orientação do médico. Após a cirurgia, o tempo de recuperação varia de 24h a 48h.

  • É possível reverter a laqueadura caso queira engravidar novamente?

As chances, segundo a especialista, são mínimas, uma vez que a técnica é considerada irreversível. Como alternativa, pode ser indicado que a mulher passe pela Fertilização in Vitro caso queira tentar uma nova gravidez. “Portanto só é indicado realizar o procedimento quando houver certeza da decisão”, reforça.

O procedimento de laqueadura é um método contraceptivo 99% eficaz  (Foto: Shutterstock)
  • Vantagens da laqueadura

Mesmo sendo um procedimento cirúrgico, as chances de engravidar são de 1%. A longo prazo, não existem efeitos colaterais e o método não interfere na amamentação se realizado logo após o parto. Além disso, “principalmente quando há risco de vida materna por alguma doença que ‘impeça’ uma gestação saudável, a laqueadura e o método mais seguro”, comenta.

  • Quanto custa para fazer laqueadura?

O procedimento além de ser coberto pelos planos de saúde, também pode ser realizado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em clínicas particulares, as cirurgias podem variar entre R$ 5 mil a R$ 10 mil, dependendo do hospital, médico e técnica realizada para o procedimento.

  • Quando a laqueadura é contraindicada?

Apesar de ser um procedimento bastante comum, não são todas as mulheres que podem realizar a laqueadura. As contraindicações são:

  • Doenças ou problemas clínicos que não permitam a cirurgia e/ou anestesia
  • Não estar grávida
  • Infecções que causem a contraindicação da colocação do stent tubário
  • E não seguir os conformes da Lei 9.263/96 relativo ao Planejamento Familiar