Mitos e verdades sobre o coronavírus

O que é? Como se espalha? Quais são os sintomas? Reunimos as principais questões sobre o novo vírus nessa reportagem para garantir que você esteja bem informado sobre o assunto

Resumo da Notícia

  • Mais de 70 casos de coronavírus já foram confirmados no Brasil
  • O vírus já foi considerado uma pandemia
  • Reunimos as principais perguntas sobre a doença para tirar suas dúvidas
  • Confira tudo que você precisa saber para se proteger e proteger sua família
Tudo que você precisa saber sobre o coronavírus (Foto: Getty Images)

Nas últimas duas semanas, organizações médicas em todo o mundo acompanharam a propagação do coronavírus, o COVID-19. Essa doença respiratória começou em Wuhan, província de Hubei, China, e até agora adoeceu mais de 127.800 pessoas e causou pelo menos 4.718 mortes em todo o mundo.

-Publicidade-

Em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou oficialmente o coronavírus uma “pandemia”. O COVID-19 causou pânico generalizado entre os pais – em parte porque seus sintomas (tosse, falta de ar e febre) são quase idênticos aos da gripe, disse Miryam Wahrman, PhD, professor de biologia e diretor do laboratório de pesquisa em microbiologia da Universidade William Paterson, na Califórnia. Wayne, Nova Jersey, e autor de The Hand Book: Surviving in a Germ-Filled World.

Mas aqui estão as boas notícias:  a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a taxa de mortalidade por coronavírus seja de 3,4% – mas muitos especialistas esperam que esse número diminua à medida que aprendemos mais sobre a doença. Aqui está o que você precisa saber sobre o coronavírus COVID-19.

-Publicidade-

O que é o coronavírus?

O coronavírus é comum entre animais como morcegos, camelos e gatos, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Mas sete variedades, chamadas “vírus zoonóticos”, podem ser transmitidas de animais para seres humanos e depois de seres humanos para outros seres humanos. Essas doenças geralmente levam a sintomas respiratórios que variam de leve a grave. O novo coronavírus (SARS-CoV-2) – e a doença que causa, COVID-19 – é novo (nunca visto antes). As autoridades rastrearam o novo coronavírus até o mercado de frutos do mar e animais vivos em Wuhan, China. O CDC informou que o COVID-19 é um betacoronavírus, o que significa que se originou em morcegos. Pode ser que tenha se espalhado para outro animal antes de chegar aos seres humanos – mas essa informação ainda não é conhecida.

Duas outras linhagens surgiram nos últimos anos. O primeiro foi a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS ou SARS-CoV), que teve um surto de 2002-2003 originário da China – provavelmente de morcegos ou gatos. A SARS teve 8.000 casos prováveis ​​e 774 mortes, de acordo com o CDC. Felizmente, as autoridades rapidamente erradicaram a doença, e ela não apareceu nos últimos anos. A segunda linhagem de coronavírus foi a Síndrome Respiratória no Oriente Médio (MERS-CoV). Essa doença apareceu na Arábia Saudita em 2012 (presumivelmente vinda de camelos) e adoeceu milhares de pessoas, diz Sharon Nachman, M.D., diretora da Divisão de Doenças Infecciosas Pediátricas do Hospital Infantil Stony Brook. Embora os especialistas ainda precisem realizar mais pesquisas, eles dizem que o atual coronavírus COVID-19 tem semelhanças com o SARS e o MERS.

Como o Coronavirus se espalha

As autoridades determinaram que o novo coronavírus provavelmente tem origem animal, mas está se espalhando entre as pessoas agora. A maioria dos coronavírus é contraída através de gotículas respiratórias de tosse e espirro. Como o novo coronavírus não foi extensivamente estudado, não está claro com que facilidade ele se espalha. Mais informações são necessárias antes de se fazer um julgamento definitivo, mas o CDC diz que as pessoas sem exposição conhecida estão atualmente em baixo risco de contrair a doença. 

Sintomas de coronavírus em crianças e adultos

Um período de incubação definido para o coronavírus ainda não foi determinado. No entanto, o CDC diz que os sintomas geralmente aparecem dentro de 2 a 14 dias após a exposição ao vírus. O coronavírus se parece muito com a gripe sazonal, uma vez que ambas as doenças afetam o trato respiratório. “A única maneira de diferenciar é fazer um teste clínico”, explica o Dr. Wahrman.

De acordo com o CDC, os sintomas comuns do coronavírus incluem:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar

A gravidade dos sintomas varia entre os indivíduos. Algumas pessoas sofrem de dificuldade respiratória grave que leva à morte, enquanto outras têm efeitos colaterais mínimos. “Os especialistas estão tentando reduzir os fatores de risco associados a esse novo coronavírus”, diz Kathleen DiCaprio, MD, especialista em doenças infecciosas da Faculdade de Medicina Osteopática do Touro, em Nova York, que ajudou a desenvolver a vacina para o vírus Ebola. Ela acrescenta que ” casos mais graves parecem ocorrer em pacientes mais velhos e com condições médicas pré-existentes “.

Quão perigoso é o coronavírus?

Como o coronavírus é uma doença nova, as pessoas não têm anticorpos para combatê-lo, de acordo com o Dr. Nachman. “Se você estiver exposto, provavelmente terá a doença.” A boa notícia, porém, é que cerca de 80,9% das pessoas têm sintomas leves. Cerca de 13,8% apresentam sintomas graves que requerem hospitalização e 4,7% apresentam sintomas críticos que requerem cuidados intensivos. Casos graves do coronavírus podem causar problemas respiratórios e morte, principalmente em adultos mais velhos e com comprometimento do sistema imunológico. A taxa de mortalidade global é estimada em 3,4% – mas como as pessoas com casos leves podem não ser diagnosticadas, os especialistas esperam que seja realmente muito menor. Os pais também podem ficar mais tranquilos sabendo que crianças e bebês têm muito menos probabilidade de contrair coronavírus. E aqueles que contraem a doença têm principalmente sintomas leves e frios.

As mulheres grávidas precisam se preocupar?

Você pode ter ouvido relatos de recém-nascidos que tiveram resultado positivo para coronavírus. Um tinha apenas 30 horas. Antes de entrar em pânico, no entanto, perceba que não há evidências de que o COVID-19 passe pela placenta. De fato, pesquisas preliminares publicadas no The Lancet não encontraram evidências de que o coronavírus seja transferido da mãe para o feto durante a gravidez. Também não há evidências de que o vírus afeta mulheres grávidas com mais severidade. Porém, como a gravidez enfraquece o sistema imunológico, você deve ser mais diligente quanto às seguintes medidas de precaução descritas abaixo.

Como prevenir o coronavírus

Pais e filhos podem prevenir o coronavírus da mesma maneira que evitam outras doenças respiratórias, como a gripe. O mais importante é obter a vacina contra a gripe e manter uma higiene adequada das mãos. “Lave as mãos adequadamente com água e sabão, conforme necessário, o que reduz o risco de pegar germes que causam doenças”, diz o Dr. Wahrman. É especialmente importante lavar as mãos antes de comer ou tocar nos olhos, nariz e boca. Esfregue com água e sabão por pelo menos 20 segundos.

Evite o contato com qualquer pessoa que mostre sinais de doença. Se você estiver doente, o CDC recomenda ficar em casa, se possível. Cubra a boca quando espirrar ou tossir e desinfete sua casa com frequência.

Não viaje para qualquer lugar com avisos de coronavírus. E se você corre o maior risco de contrair a doença (adultos mais velhos e pessoas com sistema imunológico comprometido), é inteligente evitar grandes multidões. Pedimos que os especialistas respondessem a algumas outras questões de prevenção para os pais, e aqui está o que eles tinham a dizer:

Existe uma vacina contra o coronavírus?

Atualmente, não existe vacina para o coronavírus. Especialistas médicos estão trabalhando no desenvolvimento de uma e também estão vendo se uma vacina existente pode ajudar com o coronavírus, diz o Dr. DiCaprio. Como o COVID-19 não é o mesmo que o SARS e o SERS, os especialistas precisam começar do zero. “Existem algumas empresas trabalhando com a vacina”, diz o Dr. Wahrman. “Geralmente, uma vacina pode levar até ou mais de um ano para se desenvolver. Não estará disponível nesta temporada, mas se isso se tornar algo mais preocupante, há pessoas trabalhando nisso no futuro. ”

Meu filho deve usar uma máscara facial para evitar pegar o coronavírus?

Se você mora em uma cidade grande, pode notar pessoas andando com máscaras no rosto. Esses objetos que cobrem o nariz e a boca podem proteger contra gotículas causadoras de doenças, especialmente se você comprar um respirador N95 em vez de uma máscara cirúrgica de papel. Mas o Cirurgião Geral diz que essas máscaras são completamente desnecessárias (a menos que você já esteja doente ou trabalhe na área da saúde). De fato, o uso inadequado da máscara pode realmente aumentar o risco de coronavírus. Além do mais, se as pessoas continuarem comprando máscaras faciais, poderá criar uma escassez para quem realmente precisa, disse o secretário de Saúde e Serviços Humanos Alex Azar no “Fox News Sunday”.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-