Zélia Duncan lamenta morte do pai e faz homenagem: “Ainda ouço sua voz me chamando”

A causa do óbito não foi confirmada pela família. A cantora publicou a notícia pelas redes sociais

Resumo da Notícia

  • Zélia Duncan compartilhou uma notícia difícil com os seguidores: a morte do pai, Seu Antônio Moreira
  • A cantora publicou nas redes sociais um vídeo do patriarca da família e um longo texto de homenagem
  • A causa da morte não foi confirmada pelos parentes

Zélia Duncan compartilhou uma notícia difícil com os seguidores: a morte do pai, Seu Antônio Moreira, na última segunda-feira, 7 de dezembro. A cantora publicou nas redes sociais um vídeo do patriarca da família e um longo texto de homenagem. A causa da morte não foi confirmada pelos parentes.

-Publicidade-
A causa da morte não foi divulgada (Foto: Reprodução / Instagram / @zeliaduncan)

No vídeo, Seu Antônio aparece de bom-humor convidando Zélia para tomar “garapa com pastel”. “A gente sabe que esse dia vai chegar, o dia de perder. Mas vamos indo, como se nada pudesse nos acontecer. Mas perdemos pessoas. Ontem perdi meu pai. Ainda ouço sua voz dizendo meu nome, chego a olhar para a porta, mesmo sabendo que nunca esteve aqui nessa casa”, escreveu a artista na legenda.

A cantora conta que a relação com o parente era simples: “Meu pai era muito querido dos amigos e conhecidos. Um cara simpaticão, risonho, gostava de contar uns ‘causos’ e, para não perder a plateia, fazia arranjos mirabolantes, que quando difíceis de comprovar, se safava com: ‘é o que dizem, não sei’ ou ‘li numa pesquisa’. E ele lia muitos livros, pesquisas, já não sei”, escreveu.

-Publicidade-
A causa da morte não foi divulgada (Foto: Reprodução / Instagram / @zeliaduncan)

Segundo Zélia ainda, foi o pai que começou a ensinar a filha a cantar e compor músicas. “Meu pai tinha uma bela e afinada voz. Amava livros. Escrevia e amava citações. Baiano de Anguera/Feira de Santana. Eu sempre tive reclamações dele e muitas razões. Mas nesses meses sem dias desse ano sem calendário nem horas, comecei uma reconstrução das minhas palavras para ele. Obrigada, Cris!”, disse.

A artista encerrou a homenagem falando sobre o apoio sutil e presente que recebeu de seu Antônio durante a carreira e a vida. “Ele não sabia construir pontes, mas era um andarilho. Ele não sabia conversar assuntos necessários para nós, mas cantava. Ele nunca perguntava se eu estava bem, mas no último vídeo me oferece caldo de cana, sem saber que eu amo garapa. Guardo a cena doce. Meu pai nunca agiu em momentos frágeis para mim, mas me deu sangue nordestino para fortalecer as veias. Meu pai não cantava minhas músicas, mas esteve em muitas plateias e comprava meus discos em pequenas lojas”, lembrou.