Mãe dá à luz a gêmeas saudáveis mesmo após médicos aconselharem aborto

Hayley Bevan, de 32 anos, foi diagnosticada com Síndrome de Transfusão de Gêmeos, uma condição rara onde os dois fetos compartilham uma placenta, dificultando o fluxo sanguíneo para o corpo

Resumo da Notícia

  • Hayleu Bevan, de 32 anos, foi diagnosticada com Síndrome de Transfusão de Gêmeos
  • A doença é uma condição rara em que os dois fetos compartilham uma placenta, dificultando o fluxo sanguíneo para o corpo
  • A chance de sobrevivência das bebês era de 10%
  • Elsie e Ivy nasceram em 2018

Uma mãe deu à luz a gêmeas depois de ser informada que era infértil e de ter um aborto aconselhado pelos médicos. Hayley Bevan, de 32 anos, foi diagnosticada com Síndrome de Transfusão de Gêmeos, uma condição rara em que os dois fetos compartilham uma placenta, dificultando o fluxo sanguíneo para o corpo. A chance de sobrevivência das bebês era de 10% – mesmo assim, Elsie e Ivy completaram dois anos em maio.

-Publicidade-
Hayley deu à luz as gêmeas em maio de 2018 (Foto: Arquivo Pessoal)

A mãe vive em Lincolnshire, na Inglaterra, e já havia tido 5 filhos antes. Outro par de gêmeos, do qual apenas um sobreviveu: Jordan, hoje com 13 anos. Além dele, Chloe, de 11, e Esme, de 7. Hayley ficou infértil depois de ter complicações em uma cirurgia para remover um cisto do ovário, onde teve as trompas danificadas e parte do órgão retirado. “Depois da operação, os médicos me disseram que eu tinha 1% de chance de engravidar, mesmo por fertilização in vitro”, disse ela em entrevista ao The Sun.

Como as dores no abdômen continuam intensas, a inglesa foi aconselhada pelos médicos a remover o útero. Em outubro de 2017, Hayley deu entrada no Hospital Grimsby para sua histerectomia .Ela disse: “Quando os médicos fizeram um teste de gravidez de rotina, ele deu positivo.Achei que era um erro. Os médicos também ficaram chocados e acharam que a gravidez era psicológica. Mas, não eu estava grávida de duas semanas na época. Foi um milagre”, diz ela.

-Publicidade-
As meninas nasceram totalmente saúdaveis (Foto: Arquivo Pessoal)

Nos exames da 16 semana de gestação, a mãe descobriu que os bebês estavam compartilhando a placenta e que as chances de eles não resistirem era altíssima. “Os médicos me aconselharam a abortar os bebês porque eles tinham apenas 10 por cento de chance de sobrevivência. Se sobrevivessem, corriam o risco de danos cerebrais e de baixa qualidade de vida. Eu estava arrasada”, relata. Apesar disso, Hayley disse aos médicos que queria dar uma chance aos filhos de sobreviverem ao processo.

Em maio de 2018 Elsie e Ivy viram ao mundo por meio de uma cesariana.“Fiquei muito aliviada. Achei que fosse perder os dois. Eu não suportaria perder outro bebê. Elas saíram gritando, o que foi um grande alívio. Elas eram tão preciosos e eu estava grata”, falou Hayley.

-Publicidade-