Notícias

Após momento de explosão, avô de menina baleada no RJ faz novo desabafo e emociona ainda mais

Ághata estava voltando para casa junto com a mãe

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

A morte de Ágatha Vitória Sales Félix mexeu muito com os familiares, amigos e moradores da região do Morro do Alemão, tanto que o enterro da menina foi marcado por protestos. E por mais que a família tenha pedido para que a imprensa não fizesse imagens do velório da criança, o avô de Ághata abriu o coração.

Airton Félix conversou com o Jornal Extra e falou e demonstrou o revolta sobre a morte da neta. O homem disse o quanto Ághata gostava de ler, estudar e escrever. “Sabe qual era a arma que tinha dentro da mochila da minha neta? Lápis, caderno, apontador, livro. Tinha um simulado que ela fez nessa semana e tirou 7! Essas eram as armas que a Ágatha gostava de usar. Ela tinha um futuro, ia crescer e entrar na faculdade”, contou.

Ágatha não sobreviveu aos ferimentos (Foto: Reprodução redes sociais)

A menina gostava tanto de estudar que mesmo com 8 anos estava ensinando o tio de 28 anos a falar inglês. “Eu com 28 anos, e ela estava me ensinando inglês. Ágatha era filha única. Ela sonhava em ser bailarina, era estudiosa e não gostava de tirar notas baixas. O seu hobby principal era o balé. Nascida e criada no Alemão, assim como os pais. O pai tem loja de ração na Fazendinha. A mãe trabalha como secretária. Ela morava em cima da casa dos avós paternos e dos primos, sua rotina era com a família”.

Entenda o caso 

Ágatha Félix estava em uma Kombi junto com a mãe e outros moradores da comunidade quando o veículo foi alvo de tiros e acertou a criança. Segundo um parente da família que não quis se identificar, uma policial militar está sendo acusada como autora do crime.

Ainda segundo o rapaz, a mãe estava com a filha no colo o tempo todo, mas colocou-a ao seu lado no banco pouco antes dos tiros começarem e que a policial estaria querendo acertar um motociclista e errou o alvo.

Leia também: 

Menina morta com tiro nas costas no Rio de Janeiro é velada e enterrada

Avô se desespera ao receber a notícia da morte de menina baleada nas costas

Menina de oito anos lamenta morte do irmão em operação policial no RJ: “Queria ele de volta”

Fique por dentro do conteúdo do Youtube da Pais&Filhos: