Filho morre 17 dias após perder o pai por coronavírus e família faz desabafo de partir o coração

O segurança passou duas semanas internado usando um respirador, mas acabou não resistindo e veio à óbito aos 47 anos de idade

Resumo da Notícia

  • Alexandre, o pai e a madrasta estavam contaminados pela doença
  • Ele passou dias internado e usando um respirador
  • Os familiares lamentaram a perda nas redes sociais
  • O segurança tinha 47 anos e o pai 67
A esposa confirmou a notícia pelas redes sociais (Foto: reprodução / Facebook)

Na última segunda-feira, 13 de abril, Alexandre Moreira Mariano, de 45 anos, morreu vítima do novo coronavírus. Ele, que morava na Rocinha, Zona Sul da capital fluminense, perdeu o pai, Antônio Edson Mesquita Mariano, de 67 anos, 17 dias antes também por covid-19.

-Publicidade-

De acordo com informações da Isto É, a esposa de Antônio, Maria Lúcia, de 63 anos, também contraiu o vírus e está internada desde 31 de março. O homem ficou hospitalizado por duas semanas e precisou ser sedado e usar um respirador.

Ele veio à óbito 17 após o pai (Foto: reprodução / Facebook)

Pelas redes sociais, a família de Alexandre publicou mensagens de desabafo: “Perder o tio e o sobrinho em 15 dias, que tristeza”, escreveu um. “O inimigo invisível está mais perto do que se pode pensar”, concluiu outra. Pelo próprio facebook dele, a esposa de Alexandre deixou um recado: “Lembrem sempre dele com o jeito sorridente e a vontade de comemorar a vida!”

-Publicidade-

Coronavírus: como prevenir sua família

É muito importante higienizar as mãos para evitar a propagação do vírus (Foto: Gety Images)

Os coronavírus são uma família de vírus conhecida há mais de 50 anos. Tem este nome porque parece uma coroa, se visto no microscópio. Algumas cepas infectam seres humanos, outras infectam somente animais. O novo vírus (2019-nCoV) provavelmente é uma mutação que não atingia humanos e, nos últimos meses, passou de um animal para uma pessoa em um mercado de frutos do mar e animais vivos na cidade de Wuhan, na China. Para se prevenir, a recomendação do Ministério da Saúde é a mesma feita para a prevenção de infecções respiratórias agudas. São elas:

  • evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
  • lavar as mãos com frequência, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
  • utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • manter os ambientes bem ventilados;
  • evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-