Funcionária de creche agride menino de 3 anos e mãe fala pela primeira vez sobre o caso

Os pais da criança contaram que ele havia ido apenas por seis dias para a instituição, quando começou a dar sinais de que algo estaria errado

Resumo da Notícia

  • O caso aconteceu no dia 16 de janeiro
  • A mãe falou sobre o momento pela primeira vez
  • A funcionário bateu na criança e o deixou sozinho
  • Ela afirmou que ele estava machucado por ter brigado com outro menino
A funcionária deixou o menino sozinho (Foto: Getty Images)

Uma funcionária de uma creche, em Cidade Ocidental, Goiás, está sendo indiciada por tortura após os pais de um menino, de três anos, terem visto imagens da mulher atirando a criança no chão. O caso aconteceu no dia 16 de janeiro, mas foi divulgado apenas agora.

-Publicidade-

De acordo com a mãe do menino, ele era novo na creche a havia frequentado apenas por seis dias, das 8h às 12h. “Até o terceiro dia ele adorava o lugar. No quarto dia não queria ir. Fazia um escândalo quando a gente deixava ele lá. No sexto dia, no carro, voltando para casa, ele disse que chorou e a que tia tinha batido na barriga dele. Depois disso não foi mais”, contou em entrevista à Uol.

Assim que o menino contou o que havia acontecido, os pais mandaram um áudio para a funcionária, identificada como Maria Selijania. A mulher, para se defender, disse que ele havia brigado com um coleguinha. “Essa versão não nos convenceu porque meu filho tinha marcas de dedo no braço. E era dedo de adulto. Fomos à creche e depois de muitos questionamentos, a dona do local analisou as câmeras e vimos o que aconteceu. Pulei da cadeira e fiquei revoltada. Foi muito difícil”.

-Publicidade-
O caso aconteceu em janeiro deste ano (Foto: Getty Images)

No vídeo, a funcionária aparece pegando a criança pelo braço e jogando o menino no chão. Depois ela o deixa sozinho e sai andando. Daniel Marcelino, delegado responsável pelo caso, disse que está investigando: “Nós encaminhamos o garoto ao IML, onde ele passou por exames. A funcionária veio até a delegacia e em um primeiro momento, negou que fosse ela que aparecesse nas imagens. Depois confessou que era ela, mas negou as agressões“.

A funcionária pode pegar uma pena de 2 a 8 anos de prisão e a mãe pede justiça: “Eu quero que ela seja presa o mais rápido possível. Toda minha família está traumatizada com isso. Meu filho está bem. Porém, ficou traumatizado e agressivo durante alguns dias. Nossa rotina foi toda afetada e evitamos de comentar esse assunto com ele”, concluiu.

Assista ao vídeo:

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-