Família

Mãe desabafa após filho de 1 ano ser mordido 14 vezes em creche por colega e estamos chocados

As professoras estavam ausentes da sala quando tudo aconteceu

Larissa Albuquerque

Larissa Albuquerque ,Filha de Marli e Francisco

O bebê ficou com os braços e rosto inchado (Foto: reprodução/ Portal G1)

Um bebê de 1 ano e 6 meses foi mordido 14 vezes pelo corpo enquanto estava na creche. Tudo aconteceu nesta segunda-feira (4), era o primeiro dia do menino na escola particular, que fica em Boa Vista, Roraima. Em torno das 11h, a mãe da criança recebeu uma ligação informando sobre o incidente.

“Disse que não foi grave e não havia marquinhas. E me falou que a professora estava pedindo minha presença na creche. Saí do meu trabalho e fui lá, junto com meu marido. Era o primeiro dia de aula dele”, relatou a mãe em uma entrevista para o portal G1.

Ao chegar na creche a mãe percebeu que o filho não chorava mas estava acuado em um canto junto com a professora. Quando viu a cena a mãe começou a gritar.

“Eu o peguei. A professora veio se justificando, dizendo não ter tido culpa, e que, em um momento, se virou por um instante e outra criança da sala mordeu ele. Vi três mordidas no braço direito e duas na bochecha direita. Quando virei ele de lado, vi mais hematomas no braço. Quase arrancou um pedaço dele. Meu filho estava todo inchado”, afirmou.

A mãe imediatamente levou o filho da creche, junto com sua filha de 5 anos que também estudava lá. Ela foi direto para delegacia, registrou um boletim de ocorrência, e o menino passou por o exame de corpo de delito.

O bebê sofreu ataques de pânico e chegou a bater no próprio rosto (Foto: reprodução/ Portal G1)

O bebê além de feridas, estava com o rosto e braços inchados, e foi levado ao Hospital da Criança. Em casa, a mãe conta, que ele sofria ataques de pânico e chegou a bater no próprio rosto.

De acordo com o G1, a denúncia chegou ao Conselho Tutelar, que prometeu tomar as devidas providências. “Comunicamos a escola sobre o caso e a unidade tem o prazo de três dias para se manifestar. Caso contrário, poderá ser penalizada, conforme o artigo 236 do Eca [Estatuto da Criança e Adolescente]”, declarou o conselheiro tutelar, Augusto Valente, em entrevista.

Ainda segundo o conselheiro, o bebê receberá acompanhamento psicológico, já que está muito machucado.

“Uma criança quando cai, se machuca e chora. E onde estava algum funcionário dessa creche que não viu isso. Foi negligência mesmo. Estamos indignados com essa situação”, disse Valente.

O Conselho Tutelar pediu para que a creche disponibilizasse um relatório acerca do bebê mordido, que segundo a direção já foi fornecido.

O estabelecimento declarou que no dia uma professora estava acompanhando outra criança ao banheiro, e a segunda funcionária teria ido pegar água no refeitório da escola. No entanto, a direção afirma que foi prestado o devido apoio à criança e aos pais, e lamenta o caso.

Leia também