;
Família

Família de menino autista é expulsa do carro por motorista de Uber: “Ele disse que não se importava”

A família foi deixada às margens da BR-101, em Paulista (PE)

Emily Santos

Emily Santos ,filha de Maria Teresa e Francisco

Família foi explisa de Uber no caminho para casa (Foto: Reprodução/arquivo pessoal/ Elaine Caroline)

Elaine Caroline, mãe de um menino autista, fez um desabafo em sua página no Facebook na qual narrava um caso de discriminação feito pelo motorista de Uber.

No texto escrito por Elaine, ela explica que estava saindo de uma festa com o filho, o marido e o pai quando resolveu solicitar um carro pelo aplicativo. Após 4 cancelamentos, o quinto motorista aceitou a corrida e pegou a família.

Em conversa com o Portal Singularidades, Elaine contou que estavam no caminho para casa quando o menino, sentado na cadeirinha entre os pais no fundo do carro, ficou agitado e começou a chorar.

O motorista, então, teria ficado irritado com a crise do menino e ameaçou colocar a família para fora do veículo caso ele não se acalmasse.

“Estávamos já no caminho quando o motorista avisou que se ele continuasse daquele jeito iria encerrar a corrida. Meu esposo avisou que iríamos tentar acalmar ele”, relatou Elaine.

Mas o motorista não deu nem chance para os pais acalmar o filho. “30 segundos depois (claro que não iriamos acalmá-lo nesse tempo), o motorista parou e imediatamente pediu que saíssemos do carro dele. Eu falei que o meu filho tinha autismo e que a crise se deu pela condição dele. Ele disse que não se importava”, completou ela.

A família foi deixada às margens da BR-101, em Paulista (PE).

Inconformada, Elaine fez a publicação em seu Facebook que obteve mais de 6 mil reações e 3 mil compartilhamentos em 24 horas. Depois da repercussão inesperada, ela alterou o post para ficar visível só para seus amigos, para se preservar. Mas na publicação, ela dizia: “Ele não merece ser tratado assim”.

Ela ainda fez outra publicação contando que conseguiu chegar em casa depois de solicitar outro motorista pelo mesmo aplicativo.  “Ele achou estranho que estivéssemos na beira da BR, mas explicamos tudo. Luigi já estava calmo e graças a Deus chegamos em casa sem mais problemas”, explicou.

Em nota, a Uber lamentou a situação.

“A Uber leva esse tipo denúncia muito a sério e lamentamos que essa situação tenha ocorrido dentro da nossa plataforma. A empresa tem uma política de tolerância zero a qualquer forma de discriminação em viagens pelo aplicativo e se orgulha  em oferecer opções de mobilidade eficientes e acessíveis para todos. Assim que soubemos do incidente, entramos em contato com a família da criança para oferecer apoio e tomar as medidas necessárias. A Uber defende o respeito à diversidade e reafirma o seu compromisso de promover o respeito, igualdade e inclusão para todas as pessoas que utilizam o nosso app”.

Sobre a repercussão, Elaine disse que: “A gente pode ter apoio nos lugares que menos esperamos. E apesar de acontecerem coisas ruins, sempre vale a pena lutar para que algo melhore”.

Leia também:

Professora arrasta aluno com autismo pelo chão de escola e vídeo causa revolta

Mãe amamenta filho autista de 7 anos e gera polêmica nas redes sociais

Criança autista escreve poema sobre como é conviver com o autismo