Primeira infância no século XXI: veja 9 habilidades importantes que seu filho deve desenvolver

A psicóloga e educadora criativa Bianca Solléro, mãe de Elisa e Filipe, elegeu os fatores necessários para educar as crianças para essa realidade

(Foto: Getty Images)

As crianças nascem com um incrível potencial e se descobrem dia a dia. Para isso, precisam testar as possibilidades. Muito se fala sobre as competências do século XXI. Mas como inserir esse desenvolvimento na rotina em meio ao contexto familiar e escolar atual, principalmente na primeira infância? É tarefa dos pais incentivar esse processo e fazer com que os filhos descubram as próprias forças e fraquezas. Deixe que testem, errem, errem… Até acertarem. Para Silmara Casadei, Diretora Geral Pedagógica do Colégio Visconde de Porto Seguro, mãe de Juliana e Carlos, a escola também contribui, estimulando os múltiplos talentos, estabelecendo uma base importante de conceitos fundamentais do saber e proporcionando conexões que estabeleçam princípios de cidadania global, para o desenvolvimento socioemocional, a educação digital e o plurilinguismo.

-Publicidade-

A psicóloga e educadora criativa Bianca Solléro, mãe de Elisa e Filipe, elegeu os fatores necessários para educar as crianças para essa realidade: amor, limites e liberdade criativa, focando na opinião das crianças. Por meio da interação destes, a especialista listou 9 habilidades essenciais para este século.

1. Autoestima

-Publicidade-

A melhor forma de conhecer o seu filho é ouvindo o que ele tem a dizer. Mesmo quando não puder atender um desejo da criança, faça questão que ela perceba que a opinião dela importa e em seguida diga com firmeza e
gentileza: “Entendo o que você quer e sei que é mesmo muito chato quando não podemos fazer o que queremos,
mas isso realmente não será possível”.

2. Protagonismo

É importante que a criança tenha certa independência, sem deixar de lado a sua permissão. Ofereça opções para
o seu filho e permita a ele escolher. Assim, você estará reforçando a importância da opinião dele para você. Se estiver chovendo e a sandália não puder ser uma opção de sapato, por exemplo, ofereça um tênis ou uma bota e deixe que a criança escolha.

3. Senso crítico
Conhecer seu filho abre um mundo de descobertas, mas, para isso acontecer, é importante oferecer espaço. Evite responder imediatamente quando ele pedir a sua opinião sobre algo, procure entender a dele primeiro. Mesmo para uma pergunta simples como “Você gosta, mãe?”, é possível devolver: “Você gosta, filho?” antes de responder. Não precisa concordar com ele, mas sim respeitá-lo para que seu filho se sinta confortável em compartilhar a própria opinião.

4. Resiliência
Quando seu filho tentar fazer algo e se chatear por não conseguir, o acolha primeiro. Mostre que é difícil mesmo conseguir algumas coisas e está tudo bem em ficar triste. Depois de um tempo, convide-o a tentar novamente. Também é bacana contar uma história sobre algo que você conseguiu depois de insistir muito. Você é o principal exemplo e, por meio da empatia, poderá ensinar muito sobre o assunto.

5. Colaboração
Seu filho precisa entender que o trabalho em equipe faz parte do dia a dia de qualquer pessoa. Divida as tarefas de casa com as crianças e as responsabilize por isso, mas também aceite e respeite a forma como elas vão executá-las. Lembre que elas são imaturas e mostre como podem melhorar. Às vezes, seu filho tem uma ideia que nunca passou pela sua cabeça (e te ajuda muito!).

6. Respeito
Muita gente fala sobre isso, mas poucas pessoas sabem como aplicar o respeito no dia a dia. Experimente trocar a palavra “obedecer” por “respeitar”. Para isso, o diálogo tem um papel fundamental, explicando ao seu filho por que ele deve seguir um caminho e não outro. Diga mais vezes “eu respeito você, meu filho” (mesmo quando ele estiver frustrado). O respeito precisa ser uma via de mão dupla para funcionar.

7.Criatividade
Não à toa, as crianças querem pegar tudo com a mão, colocar na boca e por aí vai… Por isso, deixe seu filho testar. Permita a ele brincar sozinho ou sem muitas regras, várias vezes ao dia. Deixe que ele tome as rédeas das brincadeiras em grupo e incentive essa criatividade dentro de casa para que ele se sinta confortável em fazer no mundo lá fora.

8. Comunicação 

O diálogo é tudo, em qualquer relação. E não é diferente aqui. É essencial querer saber a opinião de seu filho sempre que possível. Quando a criança estiver aprendendo a falar, evite interrompê-la completando palavras ou frases. Espere seu filho acabar para dar o seu ponto de vista e se mostre curioso e interessado em cada palavra que
ele tem para te dizer. Nas conversas mais simples, você pode conhecer seu filho mais a fundo.

9. Autonomia

Lembre-se de que as crianças não nascem sabendo e que, para aprender, precisam (muitas vezes) fazer sozinhas.
Isso leva tempo, então a maior dica para nutrir a autonomia é “tenha paciência”. Errar faz parte, e mais de uma
vez. Tente segurar o impulso de corrigir e fazer você mesmo. É testando que seu filho entenderá as dificuldades
e os prazeres de uma conquista, lidando também com a frustração, assim ele estará pronto para o mundo.

Leia também:

Primeira infância no século XXI: a importância da escola para a educação do seu filho

A primeira infância no século XXI: os maiores desafios para a educação das crianças

Educação financeira: 4 dicas para ensinar seu filho a lidar com dinheiro

-Publicidade-