Saiba como é feita a correção da orelha de abano em crianças

Tire todas as suas dúvidas com o nosso pediatra, Dr. Claudio Len

(Foto: iStock)
(Foto: iStock)

É normal que os pais fiquem de olho no lado “estético” dos seus filhos. Isso acontece desde que o bebê nasce. Perguntas como “qual a cor dos olhos?”, “a orelha é amassada?” ou “tem orelha de abano?” são bem comuns logo nas primeiras consultas.

-Publicidade-

No caso da orelha de abano, o nosso mega consultor e pediatra, Dr. Claudio, costuma explicar que é necessário um acompanhamento ao longo dos anos, já que as proporções do rosto e da cabeça mudam bastante conforme o crescimento da criança.

Além disso, não dá para saber se a orelha incomodará aos filhos da mesma maneira que incomodam aos pais. Para responder às perguntas, desta vez, ele pediu ajuda do cirurgião plástico Eduardo Cukierman, médico que ele também encaminha seus pacientes quando é esse o assunto.

-Publicidade-

Até qual idade pode ser feita a cirurgia plástica de correção? – Michelle Souza, mãe de Davi.

Não há uma idade máxima para o procedimento cirúrgico, mas ele não deve ser realizado antes dos cinco anos de idade, por conta dos exames pré operatórios. Chamada clinicamente de otoplastia, a cirurgia só é feita se a criança estiver em boas condições clínicas. É importante lembrar também que o pós-operatório costuma ser mais tranquilo em crianças com sete anos ou mais.

Por que as orelhas ficam abertas e como funciona a cirurgia de correção? – Amanda Alves, mãe de Théo.

Existem duas possibilidades. Uma delas é um aumento do tamanho da cartilagem que fica antes da orelha e a outra é até mesmo a não existência dessa dobra anterior na parte do membro. A cirurgia é feita por meio de um corte bem pequeno atrás da orelha, por onde a cartilagem é modelada e fixada com pontos para “melhorar” a estética. A cicatriz quase não aparece.

Minha filha e meu marido têm orelha de abano. Existe alguma ligação genética nisso? – Danielle Gatto, mãe de Angelina.

Existe o fator familiar, mas isso não significa que todos os casos são hereditários. Apesar de a questão genética ser uma possibilidade, não podemos generalizar.

É normal a criança nascer assim e depois voltar ao normal? – Liliana Soares, mãe de Luiza e Gabriel.

As orelhas de abano tendem a se tornar mais aparentes ao longo dos primeiros anos de vida do bebê, mas não costumam voltar ao normal. No entanto, as mudanças no “visual”, como cabelos mais longos, por exemplo, podem fazer com que as orelhas não chamem tanto a atenção. Assim, pode passar despercebida conforme a criança vai crescendo.

Até meu filho completar seis meses não tinha orelha de abano, depois ficou. Ele ficará assim para sempre? A melhor solução será cirurgia? – Jackeline Ulisses, mãe de Bruno.

Existem casos e casos. Pode acontecer, sim, de aparecer logo quando o bebê nasce, e pode também aparecer ao longo
dos primeiros anos de vida. De um modo geral, depois que a orelha de abano aparece, fica assim para sempre e a única solução é a cirurgia plástica corretiva.

Usar faixa de cabelo para prender as orelhas, desde bebê, funciona para corrigir o formato? – Cristina Costa, mãe de Liz.

Essas faixas não ajudam, porque a orelha vai ser moldada pela cartilagem. Apesar dos pais acreditarem e usarem
desse artifício, não tem fundamento científico e nunca vimos um caso em que isso ajudou. Essa característica física
é uma coisa do organismo e mesmo que você coloque a faixa precocemente, não consegue alterar o formato das orelhas.

Leia também:

Veja como saber a cor dos olhos do bebê durante a gravidez

Tchau, orelha de abano!

Tire suas dúvidas! Dr Claudio responde 4 perguntas sobre catapora

-Publicidade-