Andréia Sadi responde fã sobre possibilidade de ter mais filhos

Ela usou as redes sociais para conversar com os internautas sobre a maternidade. A jornalista é mãe dos gêmeos Pedro e João

Resumo da Notícia

  • Andréia Sadi faz momento de interação com os internautas nas redes sociais
  • Por meio dele, ela respondeu algumas perguntas relacionadas à maternidade
  • Andréia é mãe dos gêmeos Pedro e João, de 4 meses, frutos do relacionamento com André Rizek

Andréia Sadi usou as redes sociais nesta quarta-feira, 11 de agosto, para fazer um momento de interação com os fãs a respeito da maternidade. A jornalista é mãe dos gêmeos Pedro e João, de 4 meses, frutos do relacionamento com André Rizek.

-Publicidade-

Ao responder às perguntas dos internautas, Andréia fez um desabafo sincero sobre a maternidade. “Já entrou no banheiro dizendo que era banho e, na verdade, era só pra descansar e chorar mesmo?”, questionou um seguidor. “Eu descobri porque os banheiros têm uma bancada: é para nós, mães, tomarmos nosso café”, brincou. “Nossa, chorei muito já. Medo é fechar o olho e dormir até 2024”, completou.

Um internauta também questionou se ela pretende ter mais filhos no futuro, ao que ela respondeu que não. “Replay: não, gente”, escreveu ela, em resposta.

Andréia Sadi fala sobre maternidade em momento de interação com os fãs (Foto: reprodução Instagram)

Amamentação dos filhos

Recentemente, Andréia Sadi usou as redes sociais para falar sobre a rotina com os filhos gêmeos. Pedro e João nasceram no dia 7 de abril deste ano e são fruto do relacionamento da jornalista com André Rizek.

Em uma publicação feita no Instagram a mãe começou se lembrando do Agosto Dourado, o mês dedicado ao incentivo  à amamentação. Ela escreveu: “Agosto é o mês da amamentação. Quando descobri que estava grávida de gêmeos, começaram também os mil palpites sobre tudo (até sobre aquilo que eu não perguntei e nem sabia que existia) Sobre como seria difícil amamentar 2, a dor, como eu não teria leite, como ficaria esgotada… a cabeça já estava a mil- e, de repente, precisei lidar com medos dobrados sobre um novo mundo”.

Andréia Sadi fala sobre amamentação dos filhos (Foto: Reprodução/ Instagram)

A mãe contou: “Como boa ansiosa, insegura, sofri muito por antecipação, chorei e tentei me preparar, principalmente a cabeça: ‘se não der, ok. Vou fazer tudo que eu puder e me orientarem para dar’, repetia para mim mesma. Na maternidade, as enfermeiras me ensinaram como fazer a pega. Conversei bastante com médicos sobre o assunto, os benefícios, o que fazer se não rolasse. Entrevistei mesmo. Em casa, pus em prática tudo que tinha apurado mas sem expectativa para não me frustrar, porque a gente se cobra: e qual não foi a minha surpresa quando os vi mamando e ver que eu tinha leite? Eu não acreditei quando os vi mamando sem supervisão profissional”.

Andréia continuou: “A mãe amadora começou a chorar de emoção (e de dor no começo e de esgotamento, felicidade, um mix dali para frente) Este é o relato da MINHA experiência. Cada uma é uma, cada mãe sabe da sua jornada. Não julguem ninguém, gente, toda mãe quer o melhor para os filhos. E, olha, eu pensei em desistir várias vezes de esgotamento profundo. Não romantizem nem olhem torto para decisão ou situação de ninguém!! Vejo muito isso nas redes sociais e fico triste. Eu vou defender até a eternidade cada mãe e suas escolhas, sua realidade, seus desafios. Sejamos rede de apoio!”.

A jornalista disse: “No meu caso, todo dia acordo e sigo- e também todo dia fico esgotada. Mas, no fim do dia, agradeço por alimentar meus filhos. Amamentar 2 (um de cada vez por aqui, não mamam juntos, o que estica o tempo de cada turno e ainda ofereço complemento depois, tamanha insegurança de que estão satisfeitos !!) é a coisa mais poderosa e cansativa que já fiz”.

Ela finaliza falando: “Brinco que resinifiquei o conceito de exaustão- mas a recompensa é inacreditável: aqueles olhinhos me encarando, rindo de lado, quando estão mamando me quebram: de amor, de cumplicidade. ‘Quem sabe de mim sou eu’, dentro ‘daquele abraço’, meu mundo inteiro num abraço. Filhos, obrigada por me escolherem”.