Britney Spears aparece nadando em durante a gravidez: entenda se a prática realmente faz bem

A cantora, que está grávida do terceiro filho, compartilhou um vídeo em que aparece nadando ao lado do marido. Especialistas explicam se a natação realmente faz bem para a gestação

Resumo da Notícia

  • Britney Spears, que está grávida do terceiro filho, compartilhou um vídeo em que aparece nadando ao lado do marido
  • Ela também falou sobre o amor pela natação e os benefícios da atividade para a gravidez
  • Especialistas explicam se a natação realmente faz bem para a gestação

Britney Spears usou as redes sociais na última terça-feira, 13 de abril, para compartilhar um vídeo em que aparece nadando em uma piscina. A cantora está à espera do terceiro filho e comentou sobre a natação na gravidez ao publicar o momento.

-Publicidade-

“Ontem meu marido e eu fomos nadar…. Eu sou como um peixe… Eu vou lá no fundo, então eu tenho que me lembrar que preciso subir para respirar!!! Pss… Ouvi dizer que água é o melhor exercício para bebês”, escreveu ela junto das imagens, brincando sobre o gosto pela natação.

Britney Spears aparece nadando em durante a gravidez: entenda se a prática realmente faz bem
Britney Spears aparece nadando em durante a gravidez: entenda se a prática realmente faz bem (Foto: reprodução Instagram)

Mas, afinal, será que a natação é realmente boa para as grávidas?

É sim! Além de ser um exercício de baixo impacto, ela pode ajudar para aumentar a quantidade de progesterona (hormônio essencial para a gravidez) e também diminuir as chances de trombose.

Qual a relação da progesterona com a natação e a gravidez?

Ela pode auxiliar no aumento da progesterona simplesmente porque ajuda a manter a calma e, consequentemente, retarda a superprodução de hormônios do estresse, o que ajuda no equilíbrio da progesterona.

O exercício normal e moderado não prejudica os níveis de progesterona ou estrogênio; em vez disso, é bom para você e seu bebê. “Mas o exercício excessivo – pense em algo como crossfit, por exemplo – pode levar a níveis desequilibrados de cortisol que irão diminuir a progesterona em geral”, explica Dra. Wendy Warner, médica obstetra e ginecologista em Langhorne, na Pensilvânia, que também pratica medicina holística.

Veja como isso pode acontecer: o estresse de tanto esforço físico leva à produção elevada e prolongada de cortisol (o principal hormônio do estresse). Como nossos corpos não foram projetados para produzir cortisol em uma intensidade tão alta, em algum ponto o corpo procura “ajuda”, que encontra ao retirar a progesterona dos ovários e convertê-la em cortisol. Essa compensação garante a sobrevivência, mas deixa os hormônios ovarianos desequilibrados.

Para evitar que isso aconteça, o ideal é encontrar formas de reduzir o estresse e a médica cita a prática do esporte como uma das possibilidades de fazer isso. “Yoga, natação, livros de colorir para adultos, tricô, e o que mais funcionar para você… apenas desestresse!”, brinca.

Os riscos da trombose durante a gestação

As futuras mães devem ficar atentas: dor nas pernas, vermelhidão, inchaço, pele mais quente e aumento das veias locais podem ser sinal de trombose! É comum que a doença surja durante a gravidez porque a capacidade de coagulação aumenta conforme o avanço da gestação. Essa é a forma que corpo encontra para preparar o organismo para o controle do sangramento no momento do parto. É essencial que a gestantes mantenham certo cuidados para evitar que a trombose apareça e a natação está entre uma das recomendações da ginecologista Dra. Ana Carolina Lúcio Pereira para diminuir essas chances. 

Além da natação, que ajuda na circulação do sangue, a médica também recomenda o uso de meias de compressão, caminhadas, evitar passar 8 horas ou mais sentada, evitar cruzar as pernas, tomar muita água e ter uma alimentação rica em fibras.

Exercícios físicos na gravidez

Primeiro, é preciso considerar que nem toda gestante pode praticar exercícios. É preciso a liberação do médico para que haja certeza de que a gestante está apta e que isso não vai fazer mal para ela e para o bebê. Caso o profissional recomende, veja no que você precisa prestar atenção antes de começar.

Gravidez não é doença, isso a gente já sabe. O que precisa de um pouco de atenção é o tipo de atividade física que será realizada e o objetivo. Durante a gestação, os exercícios não devem ser feitos para atingir uma alta performance, mas para melhorar o condicionamento e a qualidade de vida. Neste período, é necessário se cuidar mais e diminuir o ritmo das atividades, mas os exercícios físicos podem continuar a fazer parte da rotina.

Nas recomendações de especialistas, estão atividades como caminhada, musculação de baixo impacto, yoga e meditação. O ideal é fazer uma avaliação com um profissional que lida com isso, como um preparador físico. Assim, ele vai poder avaliar melhor o seu caso, principalmente se você estiver começando a atividade já grávida.

Quem começa as atividades físicas na gestação, precisa ter mais atenção. “Para quem está começando a fazer exercícios, de um modo geral, a dica é: vai com calma, muita calma. O grande problema é que todo mundo quer resultado para ontem e isso não funciona. Usar o bom senseral, recomendamos hidroginástica. Se for fazer uma caminhada na esteira, usar o suporte de apoio, se for na rua, tem que analisar o terreno”, afirma Renato de Oliveira, filho de Ivanir e Rosária, ginecologista e obstetra, responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis.

Pilates especializado para gestantes também pode ser uma boa ideia. “Atividades de alta performance devem ser evitadas, pois o exercício intenso pode ser uma das causas de trabalho de parto prematuro. O estresse também”, completa.

No primeiro trimestre gestacional, é preciso evitar o sol e não deixar que a temperatura corporal fique muito elevada, para evitar complicações. Se você já é praticante de atividades físicas e engravidou, siga em frente! Busque moderar o impacto dos exercícios, mas não pare! É fundamental se sentir bem e feliz na gestação e os exercícios físicos podem ajudar, e muito, nisso.