Inchaço na gravidez: 8 formas de diminuir, como lidar, causas e por que ocorre

Se você nunca passou por isso, provavelmente já conheceu alguém que teve inchaço durante a gravidez. Apesar de ser bastante comum, ele deve ser observado se vir acompanhado por dores, vermelhidão e até mesmo febre

Resumo da Notícia

  • O inchaço acontece na gravidez por causa do aumento dos fluídos corporais e do sangue
  • É importante ficar de olho se ele é unilateral e vem acompanhado de dor e vermelhidão, pois pode ser trombose
  • Ter uma boa alimentação e praticar atividades físicas na gravidez podem aliviar o inchaço, mas sempre com a orientação do seu médico obstetra

Na gravidez, é comum aparecer o famoso inchaço, que acontece por causa da diminuição do fluxo sanguíneo nas veias. Apesar de ser um incômodo para a mulher, é possível driblar o problema durante essa fase. Também conhecido como “edema”, costuma ser mais comum em algumas partes do corpo do que outras.

-Publicidade-
O inchaço é bastante comum na gravidez e acontece por causa do aumento de fluídos corporais e do sangue (Foto: iStock)

De acordo com a educadora física, Vanessa Furstenberger, mãe de Sthephany, na gravidez ocorre um aumento de aproximadamente 50% dos fluídos corporais e sangue. “Isso acontece para suprir as necessidades de desenvolvimento do bebê”. Para te ajudar nesta missão, respondemos as principais dúvidas sobre inchaço e listamos algumas dicas do que fazer para aliviar o problema.

O que é e quais são as causas de inchaço na gravidez

Como na gravidez é diminuído a velocidade do sistema linfático, os líquidos acabam se acumulando nos vasos e também fora deles, causando o inchaço, de acordo com  a fisioterapeuta, Viviana Piccinini, mãe de César. Além disso, Vanessa completa que os líquidos possuem um papel muito importante na gestação: “Eles ajudam a preparar as articulações da região da pelve para que o bebê possa passar e nascer na hora do parto“.

Por que o inchaço na gravidez acontece?

Apesar do problema ser bastante comum, o inchaço na gravidez também está ligado aos hormônios, como explica o cirurgião vascular Dr. Caio Focassio, pai de Maria Luiza. “Na gestação, a mulher tem uma flacidez no sistema venoso, assim como na maioria dos tecidos, por ação dos hormônios da da gravidez. As veias tem receptores para eles, então elas ficam com as paredes um pouco mais flácidas, o que pode causar um edema venoso”.

Durante a gravidez, o inchaço pode acontecer também por causa do aumento no tamanho do útero, que pode ser até de 20 vezes. O órgão comprime a veia cava, desacelerando a circulação. “Isso faz com que acumule sangue nos membros inferiores, porém não é só isso que faz o edema em uma gestante ficar tão evidente. A progesterona é grande vilã do acumulo de líquidos de uma gestante, representando até ¼ do peso de uma grávida”, completa Viviana.

Como evitar o inchaço na gravidez

O inchaço costuma aparecer com mais frequência na região da face, mãos, pés e tornozelos. Para evitar que ele apareça, a educadora física lista alguns cuidados: evite alimentos que possam ajudar na retenção de líquido; evite ficar em pé ou com as pernas para baixo por muito tempo; use sapatos confortáveis e evite saltos; coloque as pernas mais elevadas do que a altura do quadril; evite lugares muito quentes; evite usar roupas apertadas; faça compressas frias nas áreas edemaciadas e faça drenagens linfáticas.

Exercícios para aliviar o inchaço na gravidez

Desde que seja acordado com o médico obstetra, é possível realizar exercícios de hidroginástica e natação para melhorar o inchaço. Vanessa comenta que em casos como esse, a água aplica uma pressão que massageia os gânglios linfáticos, fazendo uma drenagem linfática natural e que diminui os líquidos. Além disso, também é possível realizar algumas atividades em casa:

  • Sentar-se em uma cadeira, estender as pernas, e apoia-las para manter os pés elevados acima da altura dos quadris (pode utilizar uma almofada!). Nessa posição, fazer movimentos com os pés para cima e para baixo e circunduções para os dois lados;
  • Em pé, subir e descer na ponta dos pés;
  • Massagear as solas dos pés com bolinhas de tênis também ajudam (muito!) a melhorar a circulação e o inchaço de membros inferiores;
  • Faça exercícios leves de alongamentos para ajudar a melhorar a circulação do corpo como um todo.

Como aliviar o inchaço com a alimentação

Ter uma alimentação balanceada na gravidez pode ser uma grande aliada para combater o inchaço. Por isso, Viviana recomenda diminuir o consumo de sal, refrigerantes, shoyu e embutidos. Já a educadora física reforça a importância de ingerir bastante água e também alimentos ricos em potássio, “pois eles são diuréticos e aumentam a excreção renal de sódio sendo um excelente aliado contra a retenção de líquidos”, explica.

Inchaço ou trombose na gravidez?

Apesar de em ambos os casos haver um edema, é possível diferenciar o problema. Geralmente, quando o inchaço aparece de maneira desigual nas pernas e é acompanhado por dor na região, ou ainda dor de cabeça, é importante procurar um médico especialista, como um vascular. “Essa é a diferença de um edema bilateral da gestação e uma trombose“, reforça o cirurgião.

Fazer exercícios e ter uma boa alimentação na gravidez pode auxiliar para a diminuição do inchaço (Foto: Getty Images)

Segundo Viviana, a trombose é um coágulo que costuma ir muito além do inchaço. “Não é comum ter nas duas pernas ao mesmo tempo. Geralmente, para de doer durante o repouso e vem acompanhado de vermelhidão, febre e endurecimento local”, explica. Vale lembrar ainda que todas as grávidas devem fazer o pré-natal e ser acompanhadas por um especialista.

Além da trombose, é importante ficar de olho também para outros problemas de saúde na gravidez como, a presença da hipertensão. Para tratar qualquer um dos riscos, não hesite em procurar um médico e sempre alertá-lo para os sintomas durante esse período.

Como fazer drenagem para reduzir o inchaço na gravidez?

A fisioterapeuta recomenda a drenagem clássica durante a gravidez, mas é superimportante tomar alguns cuidados! Ela não pode ser realizada na parte de baixo do ventre, pois ainda não houve a contração do útero. Já nos membros inferiores e superiores, o exercício pode ser feito normalmente. “Dar aquela caprichada na lombar também é importante, afinal, toda grávida merece!”.

O inchaço pode voltar no pós-parto?

Pode, principalmente após o parto cesárea. “O edema aumenta a perfusão dos vasos sanguíneos, dando condições de uma melhor cicatrização”, comenta a fisioterapeuta. Além disso, a educadora física explica que o edema pode voltar também por outras razões, mas que é possível ajudar com que ele desapareça.

Para isso, Vanessa recomenda a ingestão de líquidos, não deixar as pernas muito tempo para baixo, movimentar as articulações para o sangue circular melhor, elevar as pernas para que fiquem mais altas do que o quadril, pois isso estimula o retorno venoso e, desde que com liberação do médico obstetra, fazer exercícios leves como alongamentos e também caminhadas. “Essa são algumas das medidas que podem ser adotadas para ajudar na eliminação desse líquido que está causando o inchaço”, conclui.