Especialista ensina o que fazer quando seu filho tira nota baixa na escola

Veja como resolver esse probleme sem pirar!

Hora de arrumar o material! (Foto: Guetty Images)

Um dos principais problemas em casa depois que a escola entra na vida dos filhos são as notas e de acordo com a pesquisa mais recente do PISA, Programme For International Student Assessment, os alunos brasileiros têm um desempenho mais baixo em ciências, literatura e matemática.

-Publicidade-

É normal que os pais fiquem preocupados com o desempenho dos seus filhos, mas a verdade é que no caso de uma única nota ruim, não há porque entrar em pânico. A questão é que uma reação negativa da sua parte pode desanimar seu filho, já que ele realmente se esforçou ao ponto de ter boas notas em quase todas as matérias. O fundamental é que você mantenha seu foco em elogiar as boas notas e valorizar o esforço que foi colocado para alcançar esse resultado. Quanto à nota baixa, basta perguntar qual o plano para melhorar esta nota na próxima prova.

Por isso, resolvemos separar algumas dicas que como você pode lidar com as notas baixas do seu filho e ajudá-lo a melhorar os resultados!

-Publicidade-

Vale lembrar que ir bem na escola não signfica, apenas, ter boas notas. Vários fatores podem interferir no resultado, por exemplo, o nervosismo, falta de atenção, etc. Por isso, é muito importante criar um laço de confiança e um diálogo aberto para entender qual o problema que está sendo o motivo principal das notas baixas.

Para lidar com o baixo rendimento escolar sem gerar brigas, é importante que exista esse vínculo para as duas partes, você e seu filho, poderem expor seus sentimentos e se sentir a vontade em criar um plano de ação juntos.

Se o problema for falta de organização, você tem que lembrá-lo que o responsável por estudar e tirar boas notas é seu filho, Deixe claro que ele pode – e deve – solicitar ajuda quando precisar, mas é ele quem vai ter que mudar algumas atitudes para que a situação não se repita. Seu papel como responsável é fundamental: guiando, apoiando, mostrando que acredita, estabelecendo e fazendo cumprir algumas regras. Mas nada disso vai adiantar caso seu filho não mude também.

(Foto: Getty Images)

A melhor maneira de conseguir isso é solicitar que ele faça uma lista das causas que podem ter gerado esse resultado. Lembre-se de não tratar cada matéria ou prova de forma isolada. Por exemplo, ele não deve pensar sobre o porquê de ter tirado 4,0 em Geografia, 5,0 em Ciências e 4,8 em Língua Portuguesa. A resposta que você quer dele é uma ideia do que pode ter causado tantas notas baixas. Se o seu filho ainda for muito novo, você pode fazer uma média de todas as notas e o foco será neste número, para facilitar o entendimento.

Quando recorrer ao reforço escolar?

Se a criança continuar com dificuldades ou se a escola não oferecer meios de recuperação, uma alternativa é procurar aulas particulares. “O reforço pode ajudar o aluno a dominar o assunto que não foi captado e nivelar seu conhecimento com o da turma”, indica Joecimara Miquelino Alves, mãe de Amanda e psicopedagoga da Uniderp.

Além das notas, o apoio escolar também é importante na construção da confiança dos pequenos. “A melhoria da autoestima da criança é um fator fundamental para uma vida harmônica e bem-sucedida no contexto escolar”, confirma Lucienne, mãe de Rafaelle, Guilherme e Gustavo e psicopedagoga consultora educacional da Rede Cristã e da Rede Pitágoras.

Veja 19 dicas que vão ajudar no desenvolvimento escolar do seu filho | Pais&Filhos

10 dicas para educar um filho responsável

Escolha da primeira escola: saiba no que prestar atenção

    -Publicidade-