Licença de maternidade e paternidade podem ser prolongadas em meio a pandemia

O projeto de lei desenvolvido pela senadora, Mara Gabrilli (PSDB-SP), visa pela proteção dos recém-nascidos e incentivar o isolamento social. Veja até quantos dias o empregado poderá ficar em casa

Resumo da Notícia

  • Licença de maternidade e paternidade pode ser prolongada
  • A PL visa aumentar os dias com os recém-nascidos dentro de casa
  • Além da saúde inclui o incentivo pelo isolamento social
Projeto de Lei visa aumentar prazo de licença maternidade e paternidade  (Foto: Getty Images)

A licença maternidade e paternidade, é um tempo mais que ideal, para que a família possa tomar os devidos cuidados do bebê nos primeiros dias de vida. Além disso, o trabalho deve entender, que o tempo em casa com o recém-nascido é necessário, para ajustar os horários e nova rotina. No entanto, em meio a pandemia do coronavírus, ficar em casa com a criança se tornou ainda mais importante.

-Publicidade-

Pensando nisso a senadora, Mara Gabrilli (PSDB-SP), anunciou por meio das redes sociais um projeto de lei, que visa ampliar o prazo da licença. “O projeto foi recém-apresentado no Senado e incentiva empregadores a prorrogar a licença-maternidade e a licença-paternidade durante os períodos de calamidade pública e de emergência de saúde decorrentes da pandemia de covid-19”, explicou, Mara.

O projeto informa, que os homens terão por volta de 85 dias de afastamento. Já as mulheres, poderão ter até 180 dias de licença. O intuito é proteger o recém-nascido de qualquer risco de infecção pelo vírus, pois nos primeiros dias de vida, o sistema imunológico ainda está sem resistência para esse tipo de doença. Além disso, o tempo cuidando da criança, agrega no isolamento social e assim as famílias respeitam a quarentena e as orientações da prevenção contra a covid-19.

-Publicidade-

-Publicidade-