Luz do sol destrói coronavírus rapidamente e autoridades mostram resultado de estudo

A pesquisa, realizada por cientistas americanos, trouxe esperança ao mostrar a aceleração em que o vírus pode morrer quando entra em contato com umidade e calor

Resumo da Notícia

  • O estudo foi divulgado por autoridades americanas
  • William Bryan, consultor de ciência e tecnologia do Departamento de Segurança Interna, mostrou os resultados
  • O calor e a umidade diminuem o tempo de vida do coronavírus
  • Os Estados Unidos é o epicentro da doença no mundo
O estudo foi realizado nos Estados Unidos (Foto: Getty Images)

Na última quinta-feira, 23 de abril, um estudo divulgado por uma autoridade dos Estados Unidos mostrou que a propagação do coronavírus pode diminuir do verão. De acordo com a pesquisa, o vírus é destruído pela luz do Sol quando em contato com superfícies ou no ar.

-Publicidade-

William Bryan, consultor de ciência e tecnologia do Departamento de Segurança Interna, disse aos jornalistas, na Casa Branca, que os cientistas do governo descobriram o potencial que os raios ultravioletas impactam na não propagação de covid-19.

“Nossa observação mais impressionante até o momento é o poderoso efeito que a luz solar parece ter sobre a morte do vírus, tanto na superfície quanto no ar”, explicou. “Vimos um efeito semelhante tanto com a temperatura quanto com a umidade, o aumento da temperatura ou da umidade ou ambas é geralmente menos favorável ao vírus”.

-Publicidade-
O calor e a umidade diminuem o tempo de vida do vírus no ar e nas superfícies (Foto: Shutterstock)

A partir de uma apresentação, ele mostrou que o tempo necessário para reduzir a vida do vírus pela metade é de 18 horas, na temperatura de 21 a 24 graus Celsius com 20% da umidade em uma superfície não porosa. Quando a umidade subiu para 80%, o tempo diminuiu para seis horas. A grande surpresa do estudo foi quando a luz solar foi incluída, fazendo com que o vírus fosse destruído em apenas dois minutos.

Em alerta, William disse ainda que o fato de poder diminuir a propagação do vírus não significa que ele sumirá completamente, sendo importante também manter as medidas de isolamento. “Seria irresponsável dizer que percebemos que o verão matará totalmente o vírus e que as pessoas poderiam ignoram essas diretrizes”, concluiu.