Mãe que vive na Itália dá conselho: “Chegou a hora de cuidar dos seus avós, não visite eles”

Em exclusiva à PAIS&FILHOS, Lorena Bigatti, que é médica veterinária, é mãe de um menino de 13 anos e mora na região de maior risco de contaminação, contou como está a situação no país. A orientação dela tem total relação com o que o governo brasileiro diz, os idosos são mais vulneráveis ao coronavírus

Resumo da Notícia

  • O COVID-19 também conhecido como Coronavírus, é uma doença que está causando muita preocupação ao redor do mundo
  • A Pais e Filhos conversou com uma mãe que mora na Itália
  • Lorena Bigatti é mãe de um menino de 13 anos
  • Ela mora em Darfo Boario Terme, região de Lombardia que fica ao norte da Itália
(Foto: Getty Images)

O COVID-19 também conhecido como Coronavírus, é uma doença que está causando muita preocupação ao redor do mundo. Com o total de 98 casos no Brasil, as famílias ainda estão tentando entender como funciona a prevenção e quais são as consequências desse novo vírus. 

-Publicidade-

A Pais&Filhos conversou com uma mãe que mora na Itália, onde a infestação do Coronavírus está maior e com quadros mais graves, para entender como funciona a rotina da família e como o governo vem agindo para combater e prevenir a doença.

Lorena Bigatti, que é médica veterinária, tem 54 anos e é mãe do menino Gabriel, de 13 anos. Ela mora em Darfo Boario Terme, região de Lombardia que fica ao norte da Itália, com o filhos e o marido Eduardo Faria.  

-Publicidade-
Lorena e a Família (Foto: reprodução / Arquivo Pessoal)
  • Como estão funcionando as aulas na região? 

Segundo Lorena, o filho dela não tem aula desde que o surto começou. Um dado interessante explicado pela veterinária é o uso de um registro eletrônico utilizado pelas instituições para entrar em contato com os pais de forma mais rápida. “Eles mandam as informações para gente pelo registro. O que o governo passa pra eles, eles repassam através desse sistema”, explica. 

Ainda sobre ficar em casa, ela contou que o filho tem uma idade que já entende as consequências: “Ele faz a lição que mandam pelo registro, depois brinca no celular. Mas, tenho amigos que estão sofrendo com crianças menores que ficam mais entediadas e ainda não assimilam a situação. O governo indica não sair de casa nem para ir ao parque”. 

  • A cidade está em Pânico?

A médica veterinária explicou que a cidade está vivendo um “clima de guerra”. As pessoas já passaram pela fase do pânico e agora existe um clima maior de solidariedade entre os cidadãos.  

“O povo está mais unido é emocionante de ver”, conta. A veterinária contou que mora em um lugar onde a questão de saúde sempre foi muito boa e agora as pessoas estão vendo superlotação de hospitais e falta de leitos,. Esse sentimento fez os próprios cidadãos se unirem para comprar suprimentos e respiradouros para atender à população. A união das pessoas só aumenta.  

  • Como o governo está lidando com a prevenção?
Clínicas de fertilização estão sendo mais procuradas após coronavírus (Foto: Getty Images)

“Aqui as pessoas respeitam tudo o que o governo fala, é incrível de ver”, comenta. O governo italiano recomenda que as pessoas mantenham uma distância de 1 metro e meio uma das outras, no mercado, por exemplo, usam luvas para encostar em tudo e as pessoas devem fazer compras apenas de carrinho para que fiquem menos próximas uma das outras. 

Os correios abrem meio período e nas farmácias só pode entrar uma pessoa por vez e usando máscara. Outra coisa interessante, é que a Netflix está liberada de forma gratuita para toda população, já que todos estão “presos” em casa.

Lorena contou que está acompanhando as notícias no Brasil e demonstrou total apoio às medidas adotadas pelo Governo brasileiro: “Eles estão supercertos em adotar todas essas medidas logo no começo. Antes aqui estavam falando a mesma coisa ‘é só uma gripezinha’, só depois de ver o estado dos hospitais, superlotados, que as pessoas começaram a entender”.  

  • Responsabilidade dentro da família 

As crianças muitas vezes podem ser assintomáticas, mas elas transmitem o vírus. “Aqui na Itália é muito tradicional que os avós cuidem dos netos. O governo pede para que os pais não deixem as crianças próximas aos velhinhos”, ressalta.

De acordo com a médica, na Itália os governantes falam assim: “Chegou a hora de cuidar dos seus avós, não visite eles”. É importante para conscientizar as pessoas sobre a saúde dos mais frágeis, já que os idosos são os mais vulneráveis e severamente afetados pelo coronavírus.

(Foto: reprodução / Getty Images)
Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-