Vacinação em São Paulo: 15 mil profissionais da saúde já foram imunizados em 72 horas

Durante uma coletiva de imprensa no início da tarde, o governador do estado de São Paulo, João Doria, deu novas informações sobre como está funcionando a vacinação no estado

Resumo da Notícia

  • 15 mil profissionais de saúde já foram vacinados em São Paulo
  • Saiba como você pode ajudar na doação de sangue durante a pandemia
  • Veja os detalhes sobre o segundo pedido do uso emergencial da Vacina do Butantan

Nesta quarta-feira, 20 de janeiro, o governo do estado de São Paulo realizou uma coletiva de imprensa no início da tarde para dar anúncios oficiais sobre a vacinação do novo coronavírus no estado. Até o momento, 15 mil profissionais da saúde foram vacinados, sendo um profissional a cada 3 minutos. “Isso é um esforço e trabalho coordenado pela secretaria de saúde de São Paulo”, reforça João Doria, governador do estado.

-Publicidade-
É possível acompanhar em tempo real a vacinação em São Paulo pelo vacinômetro (Foto: Unsplash)

Sobre a vacinação da população indígena em São Bernardo do Campo, foi informado que a imunização irá começar no sábado. No Plano Nacional de Imunização (PNI), João Doria informou que quilombolas não irão fazer parte do projeto, mas que continuarão normalmente no plano estadual de São Paulo.

Vacinação em São Paulo

Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde de São Paulo, apresentou em tempo real o vacinômetro, que mostrou 15.446 profissionais da saúde vacinados às 12h54 do dia 20 de janeiro de 2020. “Nós não podemos perder esses profissionais ou afastá-los. Só a vacinação em massa poderá mudar por definitivo essa situação”.

-Publicidade-

Sobre a taxa de ocupação em UTIs, foi informado que o estado registra 70%, além de 50.652 óbitos e 1.658.636 casos registrados da doença. Na próxima sexta-feira, 22 de janeiro, uma nova classificação do Plano São Paulo será realizada.

Doação de sangue em Manaus

Ao todo, serão enviadas 250 bolsas de plasma de sangue para tratar pacientes com Covid em Manaus. O envio será feito pelo Instituto Butantan. “Agora é um bom momento para as pessoas que puderem, ajudar a salvar vidas no Amazonas e no Brasil.

“A doação de sangue é simples, rápida e não traz riscos. Durante a pandemia, o cuidado é de agendar a doação de sangue, para que não haja o acúmulo de pessoas”, informa o Dr. Dante Langhi, da Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (ABHH)

Para doar, é necessário estar em boas condições de saúde. Para mais informações basta checar o site da Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia.

Veja a situação do segundo pedido emergencial da Vacina do Butantan (Foto: Unsplash)

Pedido de uso emergencial

Após 24 horas da análise do processo, a Anvisa declarou que espera dar o parecer até o final desta semana. Segundo Dimas Covas, Diretor do Instituto Butantan, se tudo ocorrer desta maneira, a produção das vacinas e chegada de matéria prima poderá acontecer já na próxima semana.

Na China, o diretor explicou que existem duas matérias primas: a da Sinovac, com 5.400 litros, prevista para chegar em breve, e também a da Fiocruz, que haverá um atraso, com previsão da chegada em março. “Isso coloca a responsabilidade ao Butantan de ser o único produtor da vacina neste momento”, comenta Dimas Covas.

-Publicidade-