;
Gravidez

Mãe fala sobre ter tido relação sexual duas horas depois de cesárea: “Eu gosto muito de sexo”

Ela tem três filhos e conta a experiência do último parto

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

Debbie conta como as doras do parto aumentou seu libido (Foto: Reprodução The Sun)

Depois de um apresentador britânico ter comentado sobre relações sexuais após a mulher sair do parto da filha, o assunto virou polêmica na Inglaterra e uma mãe deu seu depoimento ao jornal, The Sun. Debbie Hodge tem 44 anos e três filhos, Felix, Izzy e Amelia.

Amelia tem quatro anos e e Debbie afirma que só duas horas depois ter dado à luz, já estava com desejos sexuais e de fato tendo relações com o companheiro, ela diz que tem confiança de em si mesmo e do seu corpo e que nas outras gestações ela voltou a fazer sexo com o marido após 15 dias: “Eu gosto muito de sexo.”

Ela conta que estava solteira e que a gestação de Amelia foi uma surpresa, ela estava apenas saindo com um cara e já estava com a menstruação irregular e achou que não poderia mais ser mãe, mas ela estava errada e um pouco antes do natal descobriu que esta grávida.

A mãe tinha 39 anos na época e disse ao The Sun: “Estar grávida não mudou o aspecto sexual do nosso relacionamento. Durante os nove meses, estávamos fazendo sexo três ou quatro vezes por semana e permanecemos fisicamente carinhosos um com o outro.”

Debbie entrou em trabalho de parto quatro dias depois da previsão médica e exames revelaram que Amelia não estava bem e que ela precisaria passar por uma cesárea de emergência, depois disso, ela foi levada à um quarto privado para se recuperar da cirurgia.

Ela conta que estava apenas deitada com o namorado na cama e quando percebeu, eles já estavam tendo a relação sexual: “Eu não me senti sexy, mas me senti especial. E acabou tão rápido que não me lembro de sentir nenhum desconforto. Eu coloco a culpa disso nas drogas que o hospital meu deu.”

Debbie também contou que essa conexão que eles aparentavam ter na cama não deu certo na relação como pais e eles acabaram se separando e ela se sentiu muito mal por ter que ser uma mãe solo de um acriança de apenas três meses.

É sempre importante que isso depende mãe para mãe, cada uma pode reagir de formas diferentes à alteração de hormônios e as transformações que acontecem no corpo. A sua gravidez e a sua experiência são só suas. Culpa, jamis!

Muitas vezes o sexo dói muito e por muito tempo, e a colunista Sarah Jenks, da revista norte-americana “Parents” fala sobre isso: “Eu tive a sorte de não sentir dor no parto, mas até o quinto mês do puerpério as relações sexuais eram doloridas. Quando perguntei para as minhas amigas se elas também passaram por isso, elas se identificaram. Uma delas até disse que se preocupava se depois do parto normal ficaria com o canal vaginal mais largo, mas isso não aconteceu. Mesmo assim, o sexo agora é insuportável para ela.

Você pode procurar por fisioterapia pélvica, exercícios que fortalecem os músculos e articulações e proporcionam bem estar através dos alongamentos e relaxamentos. Não se esqueça de também de usar lubrificantes e caprichar nas preliminares. Vale dizer também que quando você para de amamentar, sua lubrificação volta ao normal.

Quando é que você deveria fazer sexo? Tirando amamentar o bebê, me alimentar, trocar fraldas e roupas e jantar com meu marido pelo menos uma vez por semana, todo o meu tempo livre era para dormir.

Não se prenda a números inventados sobre qual é a frequência ideal. Tire algum tempo para pensar sobre o que é melhor para você e para o seu parceiro. Vele dizer algo como: “Quero que você saiba que eu ainda sinto atração por você e quero fazer sexo, mas é difícil de encontrar o momento certo.”

Leia Também:

Você sabia? Dia da relação sexual pode definir o sexo do bebê 

Sexo no pós-parto: 4 fatos que podem chocar, mas que têm solução 

Calma! Dá para salvar o sexo no casamento depois dos filhos, sim