Mulher dá à luz sozinha em cela suja depois de policias negarem ajuda e vídeo impressiona

Diana não recebeu nenhum apoio

Ninguém merece passar por isso (Foto: reprodução/Fox)

O parto é um momento único. É aquele momento no qual a mãe e o bebê se encontram pela primeira vez. Não importa qual o tipo, se cesárea, normal, natural ou humanizado, a mulher tem o direito de ser bem tratada e receber todo o apoio e estrutura necessária. Mas muitos são os relatos de violência obstétrica, como por exemplo o de Diana Sanchez, que precisou dar à luz sozinha em uma cela suja, sem que nenhum policial movesse um dedo para ajudar.

-Publicidade-

Isso mesmo, ela estava grávida quando foi presa e encaminhada para o sistema prisional de Denver, Estados Unidos. O presídio até contava com enfermeiras e um hospital, mas mesmo assim Diana teve que fazer o seu parto totalmente sozinha.

Ela conversou com a afiliada da Fox e contou que os médicos da cadeia sabiam que a bolsa havia se rompido e que o trabalho de parto já tinha começado há algumas horas. Eram cerca de 5 horas da manhã quando ela começou a sentir as primeiras contrações, ela pegou o café da manhã e avisou o guarda.

-Publicidade-

A negligência começa 

As imagens da câmera de segurança da cela ocupada por Diana revelam que lá pelas nove horas da manhã a bolsa é rompida e que as quinze para onze, Jordan nasce. E é só nesse momento, depois de já estar com o filho no colo que um policial entra na cela.

A advogada de Diana conversou com a Fox e contou que ela e a cliente vão entrar com um processo contra a a cidade e o condado de Denver, o Denver Health Medical Center e outras seis pessoas que não fizeram nada para a ajudar.

“O fracasso em prestar assistência a uma mulher em trabalho de parto e a um bebê que nasce sem assistência médica em uma cela suja da prisão, isso não é civilizado”, comenta a advogada  Mari Newman. Ela também fala sobre o enfermeiro que foi checar os sinais vitais de Jordan. “Ele pega o bebê como se ele nunca tivesse visto um em sua vida. Quero dizer, a falta de qualquer tipo de compaixão é surpreendente”.

O posicionamento da cadeia 

“O atendimento e o bem-estar de nossos detentos são uma das principais prioridades do Departamento do Xerife de Denver, e é por isso que contratamos a Denver Health para fornecer cuidados médicos abrangentes em ambas as prisões”, disse a porta-voz do xerife em nota.

O xerife Patrick Firman ainda disse que depois de saber do acontecido, imediatamente ordenou que a Administração Interna realizasse uma revisão para entender a situação. E que depois disse os deputados “Tomaram as medidas apropriadas sob as circunstâncias e seguiram as políticas e procedimentos relevantes”.

Hoje 

O caso aconteceu um julho de 2018, mas teve essa repercussão por conta da entrada do processo. Hoje, Diana e Jordan, apesar de tudo, estão bem. Ela está apenas lutando pela justiça, mas já está em casa com o filho.

Diana só quer pensar no bem estar do filho (Foto: reprodução/Fox)

Leia também:

Rafael Zulu descobre que ex-mulher foi vítima de violência obstétrica: “Estou completamente assustado”

Crianças do Complexo da Maré escrevem cartas para a Justiça pedindo menos violência

Desabafo: “Se por um lado não sofri violência obstétrica, por outro sofri a violência emocional”

-Publicidade-