Pais

Maternidade transforma trauma de mulher em propósito de vida

Ana Paula quer ajudar outras mães nessa fase

Yulia Serra

Yulia Serra ,filha de Suzimar e Leopoldo

Ana Paula mudou sua carreira com a vinda do filho (Foto: reprodução/Arquivo Pessoal)

A infância é uma fase que te marca para sempre. Com Ana Paula Franz, também foi assim, mas a lembrança deixou alguns traumas que ela carregou até se tornar adulta. E foi após a maternidade que ela conseguiu romper essa visão.

Ana Paula foi abandonada assim que nasceu em um terreno baldio, com mato alto. A bebê foi encontrada por um cachorro com o cordão umbilical amarrado a um cadarço de tênis.

Com os latidos, o dono do animal, então, chamou a polícia e a pequena foi levada para o hospital. Lá, foi diagnosticada com hipotermia. 

Depois de seis dias internada, a bebê se recuperou e foi adotada por uma família. Tudo parecia ir bem, mas os primeiros dias não foram fáceis e adaptação foi dolorosa.

Os pais adotivos já tinham três crianças, mas a primeira filha faleceu com 2 anos de idade, na mesma data em que Ana foi anunciada a nova família e a mãe estava sem estrutura para lidar com a situação.

“Eu fui daqueles bebês que só choravam e não dormiam. Cresci sabendo que fiz meus pais adotivos sofrerem com a privação de sono”, conta. Essa memória perseguiu Ana e, por isso, ser mãe se tornou seu maior medo.

Após se realizar profissionalmente e se casar, ela engravidou sem planejar. E foi este acaso que fez o caminho de Ana Paula mudar radicalmente. “Eu tinha muitos traumas inconscientes enraizados nesse abandono que travavam a minha vida em diversos aspectos”, explica.

Logo que soube da notícia, a fisioterapeuta decidiu que faria dessa experiência a mais maravilhosa possível. Com pouco conhecimento sobre o assunto, resolveu mergulhar em pesquisas e nessas leu muito sobre o sono dos bebês.

Ana Paula não achava justo que a chegada de uma criança pudesse causar tanto cansaço e dor a uma família, mas que deveria ser um momento de amor. Com o nascimento de Miguel, ela ressignificou o ressentimento e percebeu que poderia ajudar outras mães nesse processo.

Decidida, vendeu a clínica, fez duas especializações internacionais em sono e se formou em Disciplina Positiva e Treinamento Comportamental para abrir uma nova empresa.

Nela, a empreendedora faz workshops sobre o tema e presta consultoria do sono. Seu objetivo é preparar os pais de primeira viagem a desenvolverem a confiança e um apego seguro aos filhos.

“Junto à família, tenho que entender o que está acontecendo através de um olhar integrativo, que vai muito além da hora de dormir, mas que busca equilibrar todas as necessidades da criança: tanto físicas quanto emocionais, para que o adormecer aconteça da forma mais natural possível”, diz.

Ana entende que cada ser humano é único e, assim, as consultorias acontecem de formas diferentes para que o filho desenvolva o amor próprio, através do respeito mútuo.

Aos 34 anos, a empreendedora entende que encontrou seu propósito de vida: “transformar a maternidade em algo mais leve e tranquilo”, por isso finaliza: “Quero impactar de forma positiva todas as mães e os lares por onde eu puder passar”.

Se você também criou um negócio próprio após o nascimento do seu filho, conte sua história para nós via direct do Instagram (@paisefilhosoficial) e participe do projeto Nascer de Novo, nossa parceria com a Brascol para valorizar o empreendedorismo materno.

Leia também:

Mãe vira empreendedora para acompanhar a filha de perto: “Nada se compara a isso”

Mãe cria doceria após demissão do trabalho: “Decidi que seria minha própria patroa”

15 filmes que toda empreendedora precisa assistir