Moda

Seu filho cresceu e as roupas encolheram? Nós temos uma solução

Crie sua loja online e faça disso um negócio próprio

Yulia Serra

Yulia Serra ,filha de Suzimar e Leopoldo

Aproveite aquela peça encostada e faça uma renda extra ao final do mês (Foto: Getty Images)

O consumo sustentável e consciente tem crescido em todo o mundo, de acordo com o Sebrae. Nós adoramos essa ideia e lançamos uma parceria com o Site Antes de Mim, em que você e outras mães criam lojas online e revendem os produtos que seus filhos já não utilizam.

Empreender geralmente é visto como sinônimo de inovação, mas não é bem assim que funciona. Hoje, com a ajuda da internet e as mídias digitais, empreender se tornou uma solução muito atrativa pela facilidade, viabilidade e popularização do comércio sem sair de casa.

Qualquer pessoa pode criar sua loja e ganhar dinheiro com isso. Melhor ainda poder aproveitar produtos que você já tem em seu guarda-roupa. Principalmente, quando falamos do universo infantil, porque as crianças se desenvolvem muito rápido e usam muito pouco as peças.

“Brechó para criança é uma das melhores coisas que podem existir na Terra”, brinca Ana Mastrochirico, que vive e estuda o universo dos brechós como forma de consumo há 5 anos. A especialista, que pretende se tornar mãe no próximo ano, já avisa que quer preencher o guarda-roupa de seu filho com roupas usadas.

Ela segue um ótimo caminho segundo dados do Sebrae, uma vez que quem compra em brechó pode economizar até 80% comparado a quem opta pelas lojas tradicionais. Xô preconceito! Entre nessa onda também. É bom para quem vende, que consegue juntar aquela grana extra e para quem compra, ao pagar menos por um produto praticamente novo.

É bom lembrar que para ter sucesso em um empreendimento, é preciso usar o bom senso. “Quando você tem um brechó, não pode apenas querer se livrar das coisas, precisa vender um bom produto”, aconselha Ana. Nesse processo, é necessário realizar um trabalho de curadoria. Pesquise. Converse. Conheça o seu público e o que estão procurando.

Se está em dúvida sobre o que pode ou não colocar a venda, Ana dá uma dica: “Olhe para a roupa e se pergunte ‘Eu usaria no meu filho? Se a resposta for sim, pode vender. Caso contrário, é melhor nem anunciar”.

Outro ponto importante para prestar atenção é a comunicação visual da sua loja. Uma foto bem iluminada, um fundo neutro, e vários ângulos da peça aumentam a chance de sucesso na venda. Uma boa descrição e um preço justo também agrada a todo mundo.

A comunicação entre vendedor e comprador é fundamental. Responda rápido e com cuidado, para manter o interesse do outro lado. Credibilidade é tudo no universo empreendedor e os detalhes importam e muito.

“Você tem que pensar na embalagem, no perfume das roupas, se irá fazer um cartão para a pessoa que está comprando, se irá enviar um mimo…”, disse Ana. Considere todos os aspectos do negócio, sem exceção.

Ah, e não se esqueça de curtir esse momento. Cada peça carrega consigo memórias bonitas entre você e seus filhos. Repasse esse amor na hora da venda.

Leia também:

Chegou a sua chance de criar uma loja online: conheça o projeto Antes de Mim

Pai cria mamadeira com formato de seio para o filho e a ideia vira negócio mundial

Maternidade sustentável: conheça a história de Maribel Albreschtt