Caso Miguel: Sari recebe denúncia por abandono de incapaz com resultado de morte

A denúncia foi feita pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) depois de uma passeata feita pelos familiares e amigos do garoto, pedindo que o órgão desse mais atenção ao caso

Resumo da Notícia

  • Sari Corte Real recebe denúncia por abandono de incapaz com resultado de morte
  • A denúncia foi feita pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE)
  • A primeira-dama estava cuidando do garoto quando tudo aconteceu
  • Relembre o caso
Caso Miguel: Sari recebe denúncia por abandono de incapaz com resultado de morte (Foto: reprodução / Instagram @cristinarosa.psicologia)

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) fez uma denúncia à primeira-dama de Tamandaré, Sari Corte Real. A mulher foi denunciada por abandono de incapaz com resultado de morte, combinado com artigos do Código Penal Brasileiro que agravam as penas por o crime “ter sido contra criança em meio à conjuntura de calamidade pública”, que, no caso, seria a pandemia da Covid-19. Com a denúncia, que foi feita nesta terça-feira, 14 de julho, o inquérito sobre a morte de Miguel Otávio segue para a Justiça.

A primeira-dama estava como responsável pelo menino Miguel Otávio, 5 anos, filho da emprega doméstica Mirtes Souza, quando ele caiu no 9° andar do prédio que estavam, em um condomínio de luxo em Recife. A mãe do garoto  havia saído do apartamento para passear com a cadela da família dos patrões quando tudo aconteceu.

O MPPE recebeu o inquérito policial no dia 3 de julho e tinha o prazo de 15 dias para analisar os autos da investigação e tomar uma decisão. A denúncia foi apresentada à 1ª Vara de Crimes contra a Criança e Adolescente da Capital por meio do promotor de Justiça Criminal Eduardo Tavares. A defesa de Sari Corte Real informou ao G1 que irá se pronunciar apenas depois de ter acesso à denúncia do MPPE.

Na segunda, 13 de julho, parentes e amigos da família de Miguel fizeram uma passeata pelas ruas do Centro do Recife para pedir que o Ministério Público de Pernambuco desse mais atenção ao caso. O grupo saiu da Praça da República em direção ao MPPE, na Avenida Visconde de Suassuna, em Santo Amaro, no Centro da capital.

Relembre o caso

Miguel Otávio, tinha 5 anos de idade, e faleceu após cair do 9º andar de um prédio localizado no centro de Recife. A morte do menino vem causando muitas repercussões. Acontece que Miguel era filho da empregada da residência e estava com a patroa da mãe que alegou um acidente. A mulher foi pega em flagrante nesta terça-feira, 2 de junho, foi acusada de homicídio culposo e saiu da prisão após pagar fiança de 20 mil reais. As autoridades alegaram que foi um caso de negligência.

A mulher cuidava do menino enquanto a mãe passeava com os cachorros na rua. Mirtes Rena, mãe do garoto, disse em entrevista à Globo: “Ela confiava os filhos dela a mim e a minha mãe. No momento em que confiei meu filho a ela, infelizmente ela não teve paciência para cuidar, para tirar [do elevador]. Eu sei, eu não nego para ninguém: meu filho era uma criança um pouco teimosa, queria ser dono de si e tudo mais. Mas assim, é criança. Era criança”.