Família

Cachorro na família? Saiba como educar o pet e proteger seu filho de mordidas

Talvez ele seja um bom companheiro, mas fique atenta!

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

(Foto: Reprodução)

Se você tem um cachorro de estimação, você sabe que talvez ele seja o membro mais querido da casa. Ele adora brincar, passear, te fazer companhia enquanto você assiste TV. Porém, nem tudo são flores, certo?

Cerca de metade de todas as crianças são mordidas por um cachorro quando fazem 18 anos, segundo a American Veterinary Medical Association. E geralmente, acontece com algum animal próximo e conhecido: 50% das crianças são mordidas pelo próprio animal de estimação, 40% já foram atacados por um filhote de um amigo ou vizinho.

Os Centros de Controle de Prevenção de Doenças (CCPD) afirmam que as vítimas precisam de atendimento médico em 20% dos casos.

Algumas raças de cães tendem a morder mais que outras. Um estudo da Faculdade de Medicina da Universidade do Estado de Ohio e do Centro Médico Wexner da Universidade do Estado de Ohio, publicado em maio de 2019 no International Journal of Pediatric, avaliou as mordidas de cães em crianças com mais de 15 anos.

“Pesquisadores descobriram que pitbulls e cães de raças mistas têm o maior risco de morder e causam mais dano em suas mordidas”, diz o estudo.

O estudo também apontou que um cachorro não morde por maldade ou porque seu filho está mexendo nele. Normalmente, é um mal-entendido entre a criança e o canino. Para proteger seu filho de se machucar com o animal de estimação, você precisa entender os mitos do comportamento animal e também informar seu filho sobre isso.

Cachorros podem ser a melhor companhia para os seus filhos (Foto: iStock)

Mito: alguns cães são sempre bons com crianças
Certas raças – como collies ou golden retriviers – são conhecidas por serem boas para as crianças, mas qualquer cão pode morder a qualquer momento, mesmo que seja bonzinho. “Nunca é uma boa ideia deixar uma criança pequena e um cão sozinhos sem supervisão”, diz Bonnie Beaver, ex-presidente da Força-Tarefa para a Prevenção da Mordida de Cães da Associação Americana de Veterinária.

Uma criança pode pisar acidentalmente em uma pata ou puxar o rabo do cachorro e ser mordida. As crianças em idade pré-escolar não entendem que podem estar forçando os limites de um cão encurralando-o ou entrando em seu espaço.

Mito: você sempre pode fazer carinho no seu cachorro
Existem alguns momentos em que os cães devem ser deixados sozinhos. Ensine seu filho a sempre deixar o cachorro em paz quando ele estiver comendo ou dormindo. Você também deve dizer ao seu filho que os cães não gostam de socializar durante as refeições.

(Foto: iStock)

Mito: a maioria dos cães irá proteger instintivamente um bebê ou uma criança pequena
Cães, especialmente aqueles que não estão acostumados com crianças pequenas, podem ter medo de seus ruídos agudos, pequenos corpos e movimentos espontâneos. Se você tem um bebê em casa, deixe seu cão à vontade. Está tudo bem se ele quiser farejar o bebê.

Mito: quando seu cão abana o rabo, é porque ele está feliz
Às vezes, os cães abanam os rabos em um movimento rígido e amplo, como um aviso de que estão desconfortáveis. “Se o corpo inteiro de um cachorro está abanando, sua língua está pendurada para fora e se mexendo, as chances são de que o clima está amigável e ele está se sentindo bem”, diz Crista Coppola, especialista em comportamento animal. “Mas se a boca dele está fechada e o corpo está tenso, fique longe”.

Leia também:

Vídeo: cachorros ajudam criança a escapar do berço para ganharem petiscos

Cachorro resgata recém-nascido enterrado vivo pela mãe e estamos emocionadas com a história

Cachorro faz bebê parar de chorar e o vídeo vai melhorar o seu dia