Família

Mãe fica desempregada e cria o próprio negócio após o nascimento da filha: “Ela é minha inspiração”

A loja online de Ana Lídia completa um ano com mais de mil seguidores

Yulia Serra

Yulia Serra ,filha de Suzimar e Leopoldo

Ana Lídia e Bruno comemorando o primeiro aniversário de Hadassah (Foto: reprodução/Instagram)

Entre um laço e outro, Ana Lídia, de 27 anos, procura desembaraçar os nós da sua carreira profissional. Movida pela necessidade, a paraense trabalha desde os 17 anos. Seu exemplo? O pai, quem ela costuma chamar de “empreendedor nato”, fazendo de tudo um pouco para manter a família bem e unida. Sendo seus principais incentivadores na vida, Ana enxerga seus pais, Lauriano e Iranilde, como espelhos.

A gratidão é refletida no tom de voz. Ela se sente sortuda por manter uma rede familiar e acrescenta um membro fundamental para ter chegado aonde chegou: o marido, Bruno. Segundo a empreendedora, a Laços Mais Amor (@lacosmaisamor) é fruto de um esforço coletivo entre eles motivado pela vinda de Hadassah, sua filha.

Após trabalhar em uma empresa de cursos profissionalizantes e idiomas; em uma escola; em um escritório de contabilidade; em uma padaria; em uma faculdade; e em uma multinacional, Ana criou o seu próprio negócio.

Ao descobrir uma gravidez faltando um mês e meio para completar seu último estágio, Ana se viu desempregada no momento em que mais precisava de renda. Com o tempo livre, pôde se dedicar a uma antiga paixão: o artesanato.

Ela passou a fazer laços para sua filha, ainda em seu ventre. Não tinha condições de comprar esses artefatos e encontrou ali uma solução. A paraense imaginava a filha usando cada uma das peças que fazia. Sem pretensões, postava em seu Instagram pessoal, quando uma amiga lhe abordou: “Ana, eu amei esse laço aqui. Eu quero ele para apresentar minha filha na Igreja”.

Alguns dos laços já feitos por Ana Lídia (Foto: reprodução/Instagram)

Assim, Ana fez a sua primeira venda. A vontade de construir algo seu sempre existiu, inclusive determinando a escolha do curso de formação. Por não ter dinheiro para custear a faculdade de Administração, optou por Processos Gerenciais e Contabilidade. Em 2017, desempregada e necessitando de uma renda extra, resolveu realizar esse sonho e iniciou a um novo capítulo profissional.  

Em 19 de fevereiro de 2018 surgiu a Laços Mais Amor. Hoje, com mais de mil seguidores no Instagram, desabafa: “Eu demorei muito para fidelizar clientes”. Ana justifica essa demora pela ausência de uma pesquisa prévia sobre o assunto, quanto a mercado e concorrência. “Você precisa saber o que o povo está querendo, o que o povo está gostando, pelo que o povo se interessa, assim como seus pontos fracos e fortes”, opina.  

É por isso que Ana faz questão de ressaltar para quem está começando um empreendimento: seja especialista no seu produto pelo menos um pouco antes de começar a venda. Apenas após essa pesquisa, que veio um pouco tarde no caso da paranaense, a empresária conseguiu entender que seus laços ainda tinham muito a melhorar e partiu para os ajustes.

O olhômetro foi substituído pela pesquisa cuidadosa, conversa com pessoas do ramo e vontade de inovar. O feedback das clientes se tornou um aliado incrível neste processo.

Hadassah usando o laço feito pela mãe, Ana Lídia (Foto: reprodução/Instagram)

Ana não se deixa acomodar. Essa pesquisa é contínua. E, agora, com o sucesso da empresa, ainda jovem, faz questão de agradecer a duas pessoas: seu marido e filha. Ao esposo e também investidor, garante: “Ele não me apoiou só financeiramente, mas cuidando da nossa filha e das coisas de casa enquanto me dedicava ao empreendimento” e acredita que essa ajuda essencial para que, hoje, seja reconhecida na cidade.

À filha, de 1 ano e 2 meses, a paraense disse: “Ela é minha fonte de inspiração. Tudo começou por conta dela”. Com uma situação financeira melhor e a Hadassah em seus braços, Ana dedica tudo a Deus. Super-religiosa, colocou um nome hebraico bíblico em sua filha que significa “a protegida ou aquela que protege”. Hadassah foi protegida por Ele, após uma complicação na gestação da mãe.   

Ana Lídia busca passar verdade com os seus produtos. “Não é simplesmente a venda de laços ou simplesmente um laço, mas a demonstração de amor”, disse. E de tantos nós que apareceram na vida da paraense, ela mostra que não se intimida, mas se reinventa e faz deles um laço digno de orgulho.

Leia também: 

Quer ser a dona do seu próprio negócio? Conheça o projeto Nascer de Novo

Quer ter seu próprio negócio? Saiba como dar o primeiro passo e se organizar

10 principais questões para pensar antes de empreender