São Paulo vai vacinar cidade inteira no interior para estudo de imunização do Instituto Butantan

Dimas Covas, diretor do Instituto, deu detalhes de como a pesquisa irá funcionar no município e explicou o motivo da realização do projeto em Serrana

Resumo da Notícia

  • A vacinação poderá ser feita em moradores acima de 18 anos
  • Veja o objetivo do projeto de pesquisa do Instituto Butantan
  • Saiba como o calendário de imunização irá funcionar

Durante uma transmissão ao vivo realizada no última sábado, 6 de fevereiro, a prefeitura de Serrana, cidade do interior de São Paulo, informou que irá realizar vacinação em massa contra a Covid-19 para os moradores acima de 18 anos. Com a presença de Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, o estudo faz parte de um projeto de pesquisa do Instituto.

-Publicidade-
O projeto irá aplicar o imunizante em massa em moradores acima de 18 anos (Foto: Freepick)

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o município tem 45.844 habitantes e irá receber doses suficientes da CoronaVac para atender toda a população. O projeto tem previsão para começar no dia 17 de fevereiro. Vale lembrar que as doses fornecidas são exclusivas para o estudo e não irão interferir na distribuição da vacina para outros locais do país.

“A ideia é vacinar o maior número de pessoas da população adulta. Nós estamos prevendo uma vacinação que pode chegar a 30 mil pessoas. E, com isso, a gente acompanha a evolução da epidemia. Tem aspectos técnicos que vão permitir fazer cálculos, fazer projeções, que vão calcular se a vacina é eficaz em diminuir a transmissão ou não, qual a porcentagem. Tem toda uma metodologia que vai permitir que isso seja feito”, informou Dimas Covas durante a transmissão.

-Publicidade-

Em 2020, o diretor do Instituto Butantan disse que o município passou por um inquérito sorológico para saber sobre a prevalência do vírus na população. Em uma das fases de teste, 5% dos moradores estavam ativos para o novo coronavírus. Por dia 10 mil habitantes se deslocam diariamente para o local por conta do trabalho.

Objetivo do estudo

Por Serrana estar próxima a Ribeirão Preto, cidade do interior de São Paulo, e importante polo de saúde por fornecer estrutura para a pesquisa, isso impactou na escolha do município para o estudo. Ricardo Palácios, diretor de pesquisa do Instituto Butantan, informou que poderá ser avaliado a efetividade da vacina quando aplicada em massa com o vírus desativado, comprovando assim se o imunizante pode interromper a transmissão da Covid.

Vale lembrar que a vacina não será aplicada de maneira obrigatória e sim, voluntária. “A primeira pergunta que queremos responder com esse estudo é: será que com essa vacina vamos realmente sair desta pandemia? Nós já sabemos que essa vacina é segura e eficaz, mas agora, quando pensamos no coletivo, na sociedade, será que nós vamos conter a pandemia com essa vacinação? Não estamos pensando em pessoas isoladas. Estamos pensando em comunidades. Para que esse estudo dê certo, a comunidade como um todo tem que participar”.

Para o estudo, Serrana foi dividia em 25 partes, formando quatro regiões diferentes e separadas por cores. Dessa maneira, os moradores de cada cor poderão ser vacinados a partir da distribuição.

Veja a o calendário de vacinação (Foto: Unsplash)

Quem pode ou não participar do estudo?

Poderão apenas participar os moradores da cidade. No caso de grávidas ou mulheres que estão amamentando, não é recomendado se houver febre nas últimas 72 horas antes da vacinação. Portadores de doenças graves também não podem participar da pesquisa. Veja o calendário e datas de vacinação em Serrana:

  • 1ª região (verde): 17 a 20 de fevereiro
  • 2ª região (amarelo) : 24 a 27 de fevereiro
  • 3ª região (cinza): 3 a 6 de março
  • 4ª região (azul): 10 a 13 de março

Na quarta-feira, 10 de fevereiro, os moradores devem fazer cadastro para definir quais regiões pertencem cada um. Ao todo, serão 4 semanas para a aplicação da primeira dose e quatro para a segunda, levando dois meses ao total.

“Quanto maior for a adesão da população nessa vacinação, maior será a contribuição que o município vai dar ao mundo. Esse resultados serão disponibilizado pelo mundo (…) É justamente essa vacinação em onda que permitem as comparações”, disse Dimas Covas.

Sobre a repartição por cores, os moradores só poderão ir apenas no dia em que pertence a sua cor. A prefeitura, junto aos moradores, deve informar as orientações sobre o esquema de imunização. A Secretaria Municipal de Saúde informou que oito escolas serão utilizadas para a aplicação das doses:

  • E.E Jardim das Rosas
  • E.E Neusa Maria do Bem
  • EMEF Dilce Jorge G.N. França
  • EMEF Edésio M. de Oliveira
  • EMEF Paulo Sérgio Betarello
  • EMEF Maria Celina W. de Assis
  • E.E Dep. José Costa
  • EMEF Jardim Dom Pedro I

Aline Selegatto de Oliveira, mãe de Bernardo e Davi, será uma das moradoras imunizadas contra a Covid-19. “Eu vejo essa questão da vacinação uma possibilidade imensa mediante ao que estamos passando mundialmente falando. Fiquei bastante feliz, mesmo que seja um estudo”.

Sobre a imunização da família, em um primeiro momento, apenas ela e o marido serão vacinados, pois os filhos ainda não possuem a idade recomendada para o projeto. “Estamos contribuindo para esse estudo além de sermos imunizados. Me sinto mais aliviada pois, pelo menos, duas pessoas da minha família já estarão sendo vacinadas contra o novo coronavírus”, comemora.

-Publicidade-