Vitória! Pais conseguem ter filha depois de 11 anos de tentativas frustradas e 9 fertilizações

Os dois passaram por uma série de decepções – abortos espontâneos, fertilizações frustadas – mas nada os fez desistir do sonho de aumentar a família

Resumo da Notícia

  • Casal consegue ter filha depois de 11 anos de tentativa
  • Eles passaram por 3 fertilizações in vitro e ela sofreu 2 abortos
  • Eles gastaram £55mil com as tentativas
  • Hoje ela comemora 2 anos

Depois de 11 anos, £ 55mil gastos (o equivalente a cerca de R$385 mil reais), dois abortos espontâneos e 9 fertilizações in vitro sem sucesso, Rhona e o marido, Nigel, finalmente conseguiram realizar o sonho de aumentar a família e deram às boas-vindas à filha, Kiki. Neste ano, o casal comemora o 2° aniversário de Kiki, contentes por terem realizado o sonho depois de tanta luta.

-Publicidade-
Eles passaram por várias tentativas frustradas (Foto: Carters News / reprodução Metro)

Rhona, 43 anos e Nigel Brown, 46, ficaram 5 anos tentando engravidar naturalmente. Frustrados com as tentativas falhas, o casal decidiu optar pela fertilização in vitro. Foi então que, depois de mais cinco tentativas malsucedidas – três gratuitas e duas privadas – eles receberam o diagnóstico de óvulos e esperma de “baixa qualidade”. As frustrações não foram suficientes para parar os dois. Eles queriam ter um filho e fariam o que fosse preciso para conseguir.

Em 2015, eles decidiram buscar ajuda em uma clínica particular, que confirmou mais uma vez que Rhona não conseguiria ter o próprio filho biológico. Nessa clínica, eles foram apresentados à possibilidade de doação de óvulos.

-Publicidade-

Após algumas pesquisas, o casal decidiu testar a possibilidade. “Selecionei doadoras com características parecidas com a minha, para garantir que o bebê iria se parecer comigo”, contou ao jornal Metro UK. Quando estava tudo pronto para a fertilização, eles receberam outro balde de água fria: as duas primeiras tentativas deram errado e Rhona passou por dois abortos espontâneos. Mesmo assim, não desistira.

Hoje a menina tem 2 anos (Foto: reprodução Carters News / Metro)

Em dezembro de 2017, os dois últimos embriões restantes dos pais foram inseridos na décima rodada de FIV. Então Rhona começou a se sentir mal no Natal. Ela não acreditava que estava grávida – até que um exame de viabilidade em janeiro de 2018 revelou que ela estava.

“Duas semanas depois da inseminação, fiz um teste que confirmou que eu estava grávida. Veio o período de festas de fim de ano e comecei a ficar muito doente, mas imaginava que se tratava de uma gripe”, contou. “Tive que esperar até janeiro para fazer uma varredura, porque os meus médicos estavam de férias durante o período festivo. Eu estava hiperventilando de tanto medo. Não tínhamos mais óvulos e não conseguiria lidar com outro aborto. Não consigo nem descrever a sensação que tive quando eles me mostraram a tela com o coração batendo”, relembrou emocionada.

“Até os médicos e enfermeiras choraram, porque passaram por todo o sofrimento conosco”. No verão de 2018, Kiki nasceu, fazendo com que toda a espera e dinheiro gasto valessem a pena. “Somos eternamente gratos por nossa filha, ela é perfeita”, finalizou.

-Publicidade-