8 alimentos essenciais para a saúde das mães que estão amamentando – e para a produção de leite!

Durante o aleitamento, o corpo da mulher produz leite 24 horas por dia. Justamente por isso, é essencial se preocupar em fornecer a ele todos os nutrientes que você e seu bebê precisam!

Resumo da Notícia

  • Quando se está amamentando, o corpo não para de produzir leite
  • Justamente por isso, é necessário dar a ele os nutrientes necessários
  • Conheça 8 alimentos essenciais para as mães que estão amamentando

Quando se está amamentando, o corpo produz leite 24 horas por dia! Não há um momento do dia em que seu corpo não esteja ativamente produzindo leite para seu filho. Muitas mães que amamentam relatam sentir fome constante, e esse apetite vem justamente da quantidade de calorias que o corpo usa para fazer cada miligrama de leite. Abastecer seu corpo com alimentos ricos em nutrientes que dá a ele tudo o que precisa é vital.

-Publicidade-

Embora os superalimentos da amamentação não tenham sido clinicamente comprovados como lactogênicos, muitos têm sido usados ​​há séculos em todo o mundo para nutrir mães que amamentam e contêm uma mistura rica em nutrientes de gorduras saudáveis, vitaminas, minerais e antioxidantes, que são ideais para este momento.

8 alimentos essenciais para as mães que estão amamentando (Foto: Reprodução / GettyImages)

1. Abacate

O abacate é uma fonte rica de nutrientes para as mães que estão amamentando. Por ter quase 80% de gordura, ele ajuda a manter a sensação de saciedade, além de fornecer ao corpo gorduras saudáveis para o coração. Ele também é uma boa fonte de vitaminas B, vitamina K, folato, potássio, vitamina C e vitamina E.

-Publicidade-

2. Nozes

Outra fonte de nutrição, as nozes são ricas em minerais essenciais, como ferro, cálcio e zinco, bem como vitaminas K e B. Elas também são uma fonte saudável de ácidos graxos essenciais e proteínas. Além da fenomenal composição nutricional, as nozes são consideradas alimentos lactogênicos em muitas partes do mundo.

3. Feijão e Legumes

Feijões e legumes são boas fontes de proteínas, vitaminas, minerais e fitoestrógenos. O grão-de-bico é sido usado desde a época do Egito Antigo e é um alimento básico na culinária do Norte da África, Oriente Médio e Mediterrâneo, o que o torna um dos galactagogos mais acessíveis. Caso você não saiba, os galactagogos são substâncias que auxiliam o início e a manutenção da produção adequada de leite.

Embora o grão-de-bico seja a leguminosa lactogênica mais tradicionalmente usada, não há necessidade de se limitar a um tipo de feijão ou leguminosa por suas propriedades lactogênicas. Por exemplo, a soja tem o maior conteúdo de fitoestrogênio de todos os feijões. Comer uma variedade de feijões e leguminosas é bom não apenas para a sua saúde geral, mas também para ajudar a garantir que você tenha um suprimento de leite saudável.

4. Cogumelos

Os cogumelos não são normalmente considerados alimentos lactogênicos, mas certos tipos de cogumelos são boas fontes do polissacarídeo beta-glucano, considerado o principal agente lactogênico responsável pelas propriedades galactagogas da cevada e da aveia. Como a cevada e a aveia provaram ter poder lactogênico, não é exagero deduzir que outros alimentos ricos em beta-glucanos, como cogumelos, teriam os mesmos efeitos.

5. Vegetais com folhas verdes

Na Tailândia, a primeira linha de defesa contra o baixo suprimento de leite é o consumo de vegetais. Embora não haja pesquisas atuais publicadas sobre as propriedades lactogênicas de vegetais de folhas verdes, consumir mais vegetais só irá beneficiar sua saúde, ao mesmo tempo que estabelece bons hábitos alimentares para seu bebê seguir quando começar a consumir alimentos sólidos por volta dos seis meses de idade.

Os vegetais de folhas verdes contêm fitoestrógenos, que demonstraram ter um efeito positivo na produção de leite. Essa pode ser a chave para entender seu poder lactogênico. Muitas mães temem que o consumo de vegetais com folhas verdes, como brócolis ou repolho, aumentem a gaseificação e a agitação em seus bebês. No entanto, isso não é verdade: a porção de carboidratos desses vegetais, que é o que pode causar gases, não chega a ser transferida para o leite materno.

6. Vegetais de raiz vermelha e laranja

Os vegetais vermelhos e laranja ainda precisam ser estudados especificamente quanto às suas propriedades galactagogas. Apesar disso, eles têm sido usados como alimentos lactogênicos em muitas culturas ao redor do mundo há centenas de anos. Vegetais de raiz vermelha e laranja, como cenoura e inhame, também têm sido usados ​​por gerações na dieta tradicional chinesa Zoyuezi, com a crença de que eles não apenas nutrem a mãe, mas a ajuda a nutrir o filho, aumentando a qualidade de leite materno.

Quaisquer propriedades lactogênicas que os vegetais de raiz vermelha e laranja possam ter são provavelmente semelhantes às dos vegetais de folhas verdes. Os fitoestrogênios nessas plantas, além de sua alta densidade de nutrientes, podem desempenhar um papel na melhoria do leite materno.

7. Sementes

As sementes são presentes nutricionais! Elas são o início da vida de todas as plantas na terra e fornecem uma fonte concentrada de todos os nutrientes encontrados na planta madura, bem como os nutrientes necessários para fazer a pequena semente crescer e se tornar uma bela flor. As sementes são ricas em proteínas e minerais essenciais, como ferro, zinco e cálcio, além de gorduras saudáveis.

Como as nozes, as sementes não têm propriedades lactogênicas comprovadas clinicamente, mas têm sido usadas há séculos para ajudar as mães que amamentam, graças ao seu alto teor de vitaminas e minerais. Cada semente tem sua composição nutricional única, então escolha uma variedade, incluindo sementes de girassol, sementes de abóbora e sementes de gergelim.

8. Cúrcuma

Embora a cúrcuma seja usada em todo o mundo por mães que amamentam como um galactagogo, não há evidências clínicas para provar que a erva tenha qualquer efeito no volume de leite materno que uma mãe produz. No entanto, as propriedades anti-inflamatórias da cúrcuma foram demonstradas em estudos clínicos como importantes para a saúde e o bem-estar das mães que amamentam para a prevenção e tratamento da mastite, bem como para aliviar os sintomas associados ao ingurgitamento mamário. Em várias comunidades da Ásia, acredita-se que o açafrão-da-índia também ajuda a estimular o sistema imunológico não só da mãe, mas também do bebê, para evitar tosses e resfriados.

-Publicidade-