Gravidez

Enfermeiras colocam máscaras de oxigênio em mães durante parto e você precisa saber o porquê

Você já ouviu falar disso?

Isabella Zacharias

Isabella Zacharias ,Filha de Aldenisa e Carlos

Você já ouviu falar disso? (Foto: GettyImage)

Todos os dias, em salas de parto dos EUA, as enfermeiras precisam colocar máscaras de oxigênio no rosto de uma mulher que está parindo.

Isso pode acontecer quando algo começa a dar errado no monitor cardíaco fetal, quando o movimento pode estar muito lento ou muito rápido. Então, a frequência cardíaca do bebê volta ao normal. Caso não volte, o parto pode resultar em uma cesárea.

De acordo com um artigo publicado em 2014 no American Journal of Obstetrics and Gynecology, o oxigênio suplementar dado para ressuscitar bebês no útero é desnecessário e prejudicial.

Quando os enfermeiros administram o oxigênio?
A frequência cardíaca do bebê é rastreada e avaliada junto com o padrão de contração. Enfermeiras, parteiras e médicos procuram por padrões específicos de frequência cardíaca que indiquem que o bebê está bem. Se os padrões indicam que ele está com problemas, algo precisa ser feito.

Lembre-se: só porque a frequência cardíaca parece diferente, não significa que o bebê esteja em perigo e, na maioria dos casos, ele não está. Se a frequência for muito lenta ou muito rápida, a enfermeira seguirá os padrões de cuidado do hospital para melhorar o batimento cardíaco do bebê.

O que o oxigênio extra faz durante o trabalho de parto?
A ideia é que aumente a entrega de oxigênio para o bebê. Muitos médicos argumentam que, a menos que você esteja com baixos níveis de oxigênio no sangue, não há necessidade de ceder mais pela máquina.
Resumindo: o oxigênio extra provavelmente não faz absolutamente nada.

Por que fazem isso, então?
Porque os padrões do hospital dizem aos enfermeiros para fazer e, se algo de ruim acontece, é melhor que esteja no prontuário que a enfermeira deu oxigênio.

“Muitas coisas que fazemos na obstetrícia são baseadas em costumes hospitalares”, diz Chris Beard, parteira enfermeira certificada do Hospital Kaiser Sunnyside, em Portland, Oregon.

Ela diz que o oxigênio extra não faz bem, mas que também não há consequências negativas. “É possível que esse procedimento seja descartado, mas é o padrão de atendimento, então precisamos usar.

Quais são os riscos?
Maureen Hamel, residente no Hospital Infantil em Rhode Island, diz que apenas dois partos tiveram o uso dessa suplementação investigado e que os pesquisadores acharam que isso não beneficiava o bebê.

“Sabemos que o oxigênio pode causar o desenvolvimento de radicais livres e que eles podem ser prejudiciais”, ela diz. Ainda assim, não há evidências que apoiem a noção de que o oxigênio suplementar cria radicais livres o suficiente para causar danos.

Você deveria dizer não?
Se sua enfermeira oferecer oxigênio, aceite. Você pode dizer não, mas essa intervenção é feita diariamente, sem evidências de que cause algum dano.

Leia também:

Parto normal: 5 dicas que você precisa saber

Tudo sobre parto cesárea: dói? Quando é indicado? Como é a recuperação?

Doula alerta sobre a importância de dar atenção para mães no pós-parto: “Tudo bem pedir ajuda