Exercícios físicos na gravidez: o que você pode fazer para a sua saúde e do bebê

Os exercícios e atividades físicas não devem ser deixados de lado durante a gravidez, mas é preciso tomar alguns cuidados para que tudo seja tranquilo e seguro tanto para a mãe quanto para o bebê

O teste deu positivo, você descobriu que está grávida e contou a notícia pra família toda. Mas junto com todas as emoções, chegam também as dúvidas. Além de toda a comemoração e do momento de montar o enxoval, é hora de se cuidar.

Em cada etapa, são várias mudanças no corpo e no comportamento da gestante. Os exercícios e atividades físicas não devem ser deixados de lado durante a gravidez, mas é preciso tomar alguns cuidados para que tudo seja tranquilo e seguro tanto para a mãe quanto para o bebê.

Fazer exercício físico é importante em qualquer idade e fase da vida, inclusive na gestação (Foto: iStock)

Grávida pode fazer exercício?

Primeiro, é preciso considerar que nem toda gestante pode praticar exercícios. É preciso a liberação do médico para que haja certeza de que a gestante está apta e que isso não vai fazer mal para ela e para o bebê. Caso o profissional recomende, veja no que você precisa prestar atenção antes de começar.

Gravidez não é doença, isso a gente já sabe. O que precisa de um pouco de atenção é o tipo de atividade física que será realizada e o objetivo. Durante a gestação, os exercícios não devem ser feitos para atingir uma alta performance, mas para melhorar o condicionamento e a qualidade de vida. Neste período, é necessário se cuidar mais e diminuir o ritmo das atividades, mas os exercícios físicos podem continuar a fazer parte da rotina.

Segundo Renato de Oliveira, filho de Ivanir e Rosária, ginecologista e obstetra, responsável pela área de reprodução humana da Criogênesis, todas as gestantes que querem se exercitar devem passar pela avaliação do médico, mas especialmente as que não costumavam praticar exercícios antes de engravidar.

Quais os benefícios da atividade física na gestação?

Fazer exercício físico é importante em qualquer idade e fase da vida, inclusive na gestação. Praticar uma atividade nesse período ajuda a diminuir o ganho de peso, evitar diabetes, pré-eclâmpsia e até a reduzir riscos na gestação. “Eles são importantes para aumentar o retorno venoso e fazer uma drenagem linfática natural, já que as gravidas têm retenção de líquidos”, explica professora de educação física Audrea Lara, mãe de Davi, Daniel e Marco André.

Quando não é recomendado fazer exercícios físicos na gestação?

Apenas em alguns casos muito específicos, os exercícios não são recomendados, como quando há risco de trabalho de parto prematuro. Mas vale lembrar que tudo vai depender do seu pré-natal e do que o seu médico vai orientar como sendo o melhor para o seu caso.

“Essa atividade tem que estar associada a algo bom, para não ser um sacrifício. A mulher tem que desenvolver o conceito de que é para ela, para seu próprio bem estar”, explica Alberto Guimarães, ginecologista e obstetra, pai de João Victor e Beatriz.

Qual exercício eu posso fazer na gravidez?

Nas recomendações de especialistas, estão atividades como caminhada, musculação de baixo impacto, yoga e meditação. O ideal é fazer uma avaliação com um profissional que lida com isso, como um preparador físico. Assim, ele vai poder avaliar melhor o seu caso, principalmente se você estiver começando a atividade já grávida.

Quem começa as atividades físicas na gestação, precisa ter mais atenção. “Para quem está começando a fazer exercícios, de um modo geral, a dica é: vai com calma, muita calma. O grande problema é que todo mundo quer resultado para ontem e isso não funciona. Usar o bom senso e entender as mudanças que acontecem no corpo é fundamental”, afirma Alexandre Gaff, personal trainer e consultor internacional da Nike, pai de Felipe e Isabela.

“De um modo geral, recomendamos hidroginástica. Se for fazer uma caminhada na esteira, usar o suporte de apoio, se for na rua, tem que analisar o terreno”, afirma Renato. Pilates especializado para gestantes também pode ser uma boa ideia. “Atividades de alta performance devem ser evitadas, pois o exercício intenso pode ser uma das causas de trabalho de parto prematuro. O estresse também”, completa.

Nos primeiro trimestre gestacional, é preciso evitar o sol e não deixar que a temperatura corporal fique muito elevada, para evitar complicações. Se você já é praticante de atividades físicas e engravidou, siga em frente! Busque moderar o impacto dos exercícios, mas não pare! É fundamental se sentir bem e feliz na gestação e os exercícios físicos podem ajudar, e muito, nisso.

Como praticar atividade física na gestação (Foto: iStock)

Quais exercícios eu não devo fazer?

É importante procurar um profissional de educação física para realizar atividades físicas com o mínimo risco de lesão e traumas e para manter a postura correta. “É importante evitar posições que causem compressão direta no abdômen da gestante”, diz Felipe Kutianski, filho de Tavares e Ostapa, preparador físico da Ziva, graduado em Educação Física e pós-graduado em Bioquímica do Exercício.

Frequência, intensidade, volume, tipo de estímulos e intervalos são variáveis complexas que requerem um programa de treinamento compatível e seguro. Sempre que possível, é importante trabalhar com o máximo de profissionais conectados: médicos, professores, fisioterapeutas e nutricionistas, pois a segurança será maior e os resultados mais concretos.

Na última fase da gestação é hora de diminuir o ritmo. Até porque o próprio corpo não te libera para excessos. Mas isso não quer dizer parar. Na gravidez saudável e sem riscos, é possível continuar a se exercitar até os últimos dias antes do parto. As atividades na água, como hidroginástica, são muito indicadas — a água anula o efeito da gravidade, o que evita lesões e dores musculares, e por isso são indicadas do começo ao fim da gravidez. Outra boa opção é o yoga, que ajuda a controlar a respiração em uma fase que respirar já não é mais tão fácil.

O que não pode

– Exercícios que propulsionam o ar para dentro da vagina (pedalar de perna para cima, por exemplo)

– Atividades que distendem a musculatura interna da coxa

– Movimentos de extensão ou que forcem as articulações

– Movimentos de contorção ou os que inclinam para trás forçando a coluna.

Dicas de exercícios para fazer em casa

Mexer o corpo em casa é uma bom jeito de cuidar da saúde, sem gastar ou se deslocar para uma academia de ginástica. Conheça três sugestões da professora para suar a camisa na sala de casa mesmo. Vale lembrar que a orientação de um profissional é sempre importante e essencial antes de qualquer atividade.

1 – Avanço
Coloque o pé direito na frente, joelho direito em 90, quadril alinhando; perna esquerda pra trás, joelho flexionado, flexione as duas pernas, aprofunda e levante, flexiona e estende. Faça de 8 a 16 repetições em cada perna. Segure na cadeira ou em algo firme, que tenha altura da cintura, para dar apoio.

2 – Elevê
Eleva e apoie os calcanhares no chão. Repita 10 vezes.

3 – Diamond
Com os calcanhares juntos, abaixe e estique as pernas, como se fosse um agachamento. Faça de 8 a 10 repetições