Notícias

Bebê com meningite meningocócica passa mais de 100 dias internado e tem superação emocionante

Os pais resolveram criar uma espécie de diário de tratamento para que as pessoas conhecessem e se precavessem da doença

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Reprodução/Instagram)

Apesar das adversidades, João Marcos mostrou desde muito cedo o quão forte é! Suelen e Marcos, pais de primeira viagem, decidiram criar um Instagram para compartilhar o crescimento do filho, mas não esperavam que dois meses após o seu nascimento, a criança fosse diagnosticada com meningite meningocócica. Logo, a conta se transformou num diário de superação de João Marcos Guerreiro.

Ao todo foram 105 dias internados na UTI Neo Center Felício Rocho e 133 dias de tratamento em casa. Os pais resolveram criar uma espécie de diário de tratamento para que as pessoas conhecessem e se precavessem da doença.

O bebê de 2 meses não enfrentou apenas a meningite, mas sofreu também com a Síndrome da Angústia Respiratória Aguda. Conhecida como SARA, ela afeta os pulmões das suas vítimas. Ele ficou entubado por vários dias, mas o pior momento foi quando os médicos perceberam que partes da sua mão estavam necrosando. Infelizmente, ele teve a perna esquerda e os dedos do pé direito amputados.

“Vários titios médicos lutaram para que eu não perdesse nada dos membros, mas algumas partes já estavam necrosadas e já não tinha como esperar mais”, escreveu os pais em legenda do diário de João nas redes sociais.

Em poucas semanas a mão de João começou a necrosar (Foto: Reprodução/Instagram @guerreirojoaomarcos)

Após os membros amputados,Dr Fabricio, da IPOMinas, doou à família próteses para João.O intuito era de que ele tivesse uma vida normal como de qualquer outra criança da mesma idade. Hoje João está se recuperando e já está usando as próteses. A criança participa da terapia ocupacional, fisioterapia, pediatria, neurologia e está se preparando para ingressar na escola. A mãe afirmou que os exames mostram alterações neurais, mas tem fé que as sequelas não serão graves.

Como o diagnóstico é feito?

O diagnóstico inicial é clínico, com exame físico, feito por exclusão, já que os sintomas iniciais não são tão específicos. O diagnóstico laboratorial tem resultado entre 1 e 3 dias. Quando há suspeita clínica de doença, no entanto, o início do tratamento deve ser imediato e não deve aguardar o resultado dos testes.

Como se proteger?

Ministério da Saúde afirma que a vacinação é uma das melhores formas de proteção não só contra meningite, mas também outros tipos de problemas de saúde. Além de causar morte entre 24 e 48 horas após a manifestação da doença, a meningite bacteriana pode causar deficiências sérias e permanentes. Por isso, é importante que o tratamento seja feito de forma rápida. Se você ou alguém da família tiver algum dos sintomas citados anteriormente, não deixe de procurar o médico.

Atualmente, no Brasil, existem dois tipos de vacinas meningocócicas:

– Vacina meningocócica do grupo C conjugada: indicada a partir de 6 semanas de vida com uma dose de reforço após 1 ano de idade. Poderá ser realizada mais uma dose de reforço entre 5 e 6 anos de idade, de acordo com orientação médica. Pessoas com mais de 1 ano recebem dose única (ela pode ser aplicada em qualquer faixa etária).

– Vacina meningocócica quadrivalente (ou tetravalente conjugada): protege contra os meningococos dos grupos A, C, W e Y. Indicada para pessoas com mais de 11 anos e deve ser aplicada em dose única.

Fique por dentro do conteúdo do YouTube da Pais&Filhos:

Leia também:

Laboratórios têm vacina líquida de meningite bacteriana que protege contra 4 tipos da doença

Casos de meningite voltam a acontecer e esclarecemos 7 mitos e verdades sobre a doença 

Meningite: saiba porque você não consegue achar a vacina