Sarampo: aumento dos casos são provocados por mentiras sobre a vacina

Ministério da Saúde lançou uma plataforma para combater fake news sobre a vacina

Pais não estão vacinando seus filhos por conta de fake news sobre a vacina (Foto: iStock)
Pais não estão vacinando seus filhos por conta de fake news sobre a vacina (Foto: iStock)

Segundo boletim epidemiológico emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), houve um aumento de 32%  nos casos de sarampo entre entre 21 de agosto e 21 de setembro. O país mais afetado é a Venezuela com 4.605 (69,4%) pacientes diagnosticados e logo em seguida vem o Brasil, com 1.766 (26,6%) casos. Os dois países acumulam 72 mortes, 10 em território nacional.

-Publicidade-

Outros países da lista incluem Estados Unidos (124 casos), Colômbia (85), Canadá (22), Peru (21), Equador (19), Argentina (11), México (5), Antígua e Barbuda (1) e Guatemala (1). A OMS aconselha que, nos países com surto de sarampo, a distribuição de vacinas aumente, além de prevenir a transmissão nosocomial, que ocorre quando o paciente adquire a doença durante o período em que esteve em uma unidade de saúde. Para isso, a organização pede para as pessoas contaminadas sejam isoladas em salas específicas.

O Brasil enfrenta dois surtos da doença: no Amazonas (1.367) e em Roraima (325). Casos isolados foram registrados nos estados de São Paulo (3), Rio de Janeiro (18), Rio Grande do Sul (29), Rondônia (2), Pernambuco (4), Pará (14) e Sergipe (4). Amazonas, Roraima e Pará concentram os 10 casos de morte em território nacional.

-Publicidade-
A vacina é a única prevenção contra sarampo (Foto:iStock)
A vacina é a única prevenção contra sarampo (Foto:iStock)

A vacinação é a única maneira de prevenir a doença. Não são só crianças, mas também adultos e adolescentes que não receberam a vacina ou não completaram o esquema vacinal estão sujeitos ao contágio.Os sintomas do sarampo são tosse, coriza, olhos inflamados, dor de garganta, febre e irritação na pele com manchas vermelhas.

Recomenda-se que mulheres grávidas recomenda-se a imunização apenas após o parto. No caso do planejamento da gravidez, é importante realizar um exame de sangue para determinar se a pessoa já está protegida contra o sarampo, caso não, a vacina deve ser tomada um mês antes da gestação.

Campanha Nacional de Vacinação alcançou sua meta e imunizou 95% do público-alvo, mas precisou ser estendida por 2 vezes. Mesmo assim, 1.180 municípios não atingiram o índice de cobertura vacinal no prazo designado e cerca de 516.000 crianças ainda não tomaram as duas doses. Parte da falta de adesão à vacina vem das fake news  que se espalharam nas redes sociais. Para combater as mentiras, o Ministério da Saúde criou uma ferramenta que funciona com um Google. Basta enviar a informação que deseja confirmar sobre a vacina e, depois de analisada, o ministério retorna dizendo se é fake news e o porquê. As mensagens podem ser enviadas gratuitamente para o número (61) 99289-4640.

Leia também:

Sarampo: 4 milhões de crianças ainda não foram vacinadas

Isso é sério: pais que não vacinam seus filhos podem até perder a guarda

Sarampo: quem precisa se vacinar contra a doença?

-Publicidade-