Criança

Sarampo: aumento dos casos são provocados por mentiras sobre a vacina

Ministério da Saúde lançou uma plataforma para combater fake news sobre a vacina

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

Pais não estão vacinando seus filhos por conta de fake news sobre a vacina (Foto: iStock)

Pais não estão vacinando seus filhos por conta de fake news sobre a vacina (Foto: iStock)

Segundo boletim epidemiológico emitido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), houve um aumento de 32%  nos casos de sarampo entre entre 21 de agosto e 21 de setembro. O país mais afetado é a Venezuela com 4.605 (69,4%) pacientes diagnosticados e logo em seguida vem o Brasil, com 1.766 (26,6%) casos. Os dois países acumulam 72 mortes, 10 em território nacional.

Outros países da lista incluem Estados Unidos (124 casos), Colômbia (85), Canadá (22), Peru (21), Equador (19), Argentina (11), México (5), Antígua e Barbuda (1) e Guatemala (1). A OMS aconselha que, nos países com surto de sarampo, a distribuição de vacinas aumente, além de prevenir a transmissão nosocomial, que ocorre quando o paciente adquire a doença durante o período em que esteve em uma unidade de saúde. Para isso, a organização pede para as pessoas contaminadas sejam isoladas em salas específicas.

O Brasil enfrenta dois surtos da doença: no Amazonas (1.367) e em Roraima (325). Casos isolados foram registrados nos estados de São Paulo (3), Rio de Janeiro (18), Rio Grande do Sul (29), Rondônia (2), Pernambuco (4), Pará (14) e Sergipe (4). Amazonas, Roraima e Pará concentram os 10 casos de morte em território nacional.

A vacina é a única prevenção contra sarampo (Foto:iStock)

A vacina é a única prevenção contra sarampo (Foto:iStock)

A vacinação é a única maneira de prevenir a doença. Não são só crianças, mas também adultos e adolescentes que não receberam a vacina ou não completaram o esquema vacinal estão sujeitos ao contágio.Os sintomas do sarampo são tosse, coriza, olhos inflamados, dor de garganta, febre e irritação na pele com manchas vermelhas.