Como equilibrar o tempo das crianças nas telas durante a pandemia?

O isolamento social tem feito com que muitos pais extrapolassem os limites em frente aos aparelhos eletrônicos, mas é preciso dosar essa exposição. Veja dicas de pesquisadores

Resumo da Notícia

  • A pandemia fez com que muitos pais deixassem os filhos mais tempo em frente as telas
  • Entenda os benefícios e malefícios de deixar seu filho em contato com a TV e aparelhos eletrônicos
  • Veja o que aponta as pesquisas

O tempo nos aparelhos eletrônicos se tornou quase um palavrão no mundo moderno da criação de filhos, trazendo vários medos, principalmente os em relação aos danos que os pais possivelmente estão causando aos filhos ao colocá-los em frente a uma TV ou Tablet. Como parte do modo de sobrevivência de quarentena com os filhos, muitos falaram para jogar o limite no tempo em frente às telas pela janela. No entanto, como na maioria das questões polêmicas de criação de filhos, geralmente há um meio-termo de moderação: você não precisa de um tempo extremamente rígido para os momentos em frente à tela e nem liberar totalmente o acesso, segundo reportagem da americana Parents.

-Publicidade-
As pesquisas trazem a realidade sobre os tempos em frente às telas (Foto: reprodução Parents / Pinterest)

O que os pesquisadores dizem?

Os pais têm uma ideia geral de que “o tempo nos aparelhos eletrônicos é ruim”, mas por que e em que medida ele é ruim são perguntas que os pais normalmente não conseguem responder. Com quantos anos e por quanto tempo você pode deixar seu filho com um Tablet na mão sem precisar se culpar? A American Academy of Pediatrics (AAP) recomenda que crianças menores de 18 meses não usem telas. Já para crianças de 19 meses a 5 anos de idade, a recomendação é que usem no máximo uma hora por dia, com a ressalva de que os pais precisam acompanhar e ver o que as crianças estão acessando. Mas, claro, o que eles não levaram em consideração é que os pais dão os aparelhos nas mãos das crianças justamente porque precisam de um tempo para si ou para cuidar de outras responsabilidades.

A realidade é que a ciência do tempo nas telas está em constante evolução e ainda há muitas coisas desconhecidas, bem como descobertas mistas sobre efeitos negativos e até positivos. Quais são as diferenças entre os tipos de telas e seus efeitos nas crianças? Algumas são mais vulneráveis ​​aos efeitos negativos do que outras? O que muda especificamente no cérebro? O National Institutes of Health lançou um estudo de uma década com 11.000 crianças para responder à essas perguntas, fazendo-nos esperar ansiosamente pelos resultados. Nesse ínterim, o AAP saiu em apoio às conexões sociais virtuais, apesar de envolver uma tela, e emitiu um aviso para não se preocupar tanto com o tempo de tela durante a pandemia.

-Publicidade-
Um tempo em frente às telas pode fazer bem (Foto: Getty Images)

Um tempo para você é essencial

O “tempo para mim” que você tanto deseja, apesar de parecer quase impossível durante a pandemia, é essencial para o seu próprio bem-estar e deve ser absolutamente priorizado, ordens do médico! Quando você tem tempo para ser você – não a versão mãe, mas como uma pessoa inteira – mesmo que seja por 20 minutos por dia, é o combustível que a mantém viva. Seu filho tem a sorte de ter uma mãe tão comprometida disposta a brincar com ele a maior parte do dia, mas você será ainda mais divertida, paciente e presente como uma mãe se tiver algum tempo para você.

Mesmo que isso signifique ligar colocar a criança em frente a uma TV. Na verdade, a pesquisa mostra que os programas educacionais podem trazer benefícios. As crianças podem de fato aprender habilidades sociais e emocionais com personagens animados e até mesmo praticar habilidades cognitivas. Você e seu filho podem escolher alguns programas atraentes e inicialmente assisti-los juntos para garantir que se sintam confortáveis ​​com o conteúdo antes que eles se tornem parte de sua rotina.

O limite

Certamente seu filho não se tornará um viciado em TV. A mídia para crianças pequenas pode realmente abrir novos mundos – apresentando-lhes diferentes ideias e maneiras de pensar e aprender. Como sociedade, nos tornamos tão focados nos males do tempo de tela não controlado que negligenciamos os benefícios potenciais de um tempo moderado em frente aos aparelhos. Resumindo: equilíbrio e boas escolhas de programas infantis são tudo o que você precisa ter em mente para dar telas aos seus filhos sem culpa e aproveitar um tempo para você mesma.

-Publicidade-