Irmãos gêmeos se reencontram depois de 23 anos separados graças a uma fotografia

Os dois cresceram em famílias diferentes, mas sempre souberam da existência um do outro e sonhavam no dia em que iam se conhecer. Depois de muito tempo, essa data finalmente chegou

Resumo da Notícia

  • Irmãos se reencontram depois de 23 anos
  • Os dois foram separados quando nasceram
  • Devido à pandemia, o encontro foi virtual
  • Veja a história completa
Gêmeos se reencontram após 23 anos (Foto: reprodução Facebook)

Irmãos gêmeos separados no nascimento se encontram 23 anos depois. Parece roteiro de filme, mas isso realmente aconteceu com Tomaz e Gabriel. A história começou o dia 25 de junho de 1997, quando Liduina deu à luz dois meninos fisicamente idênticos na comunidade do bairro Padre Andrade, localizada na periferia de Fortaleza.

-Publicidade-

Por conta das dificuldades financeiras, o casal resolveu entregar um dos filhos à adoção 15 dias após o nascimento. Cerca de 7 meses depois, os dois perceberam que também não iriam conseguir criar o bebê que estava com eles, devido a alguns problemas de saúde que ele começou a apresentar depois de ser separado do irmão.

Nos últimos 23 anos, Tomaz Maranhão e Gabriel Ferreira continuaram assim, separados um dos outros. Durante todos esses anos, os pais adotivos sempre disseram a verdade aos dois a respeito da família biológica e ambos sempre sentiram essa vontade de conhecer o irmão. Algumas coisas, no entanto, dificultavam o encontro dos dois. A primeira delas: os irmãos estavam há mais de 2.600 km de distância. A segunda: as informações que um tinha sobre o outro se restringiam a apenas uma foto.

-Publicidade-

Quando completou 16 anos, Tomaz conheceu a mãe biológica, Liduina. Como ainda moravam na mesma cidade, o encontro se deu sem grandes dificuldades. Foi nesse encontro que o jovem recebeu a fotografia.  “Nos encontramos na minha casa. Foi bem forte pra mim, pois foi a primeira vez que eu vi alguém tão parecido comigo. Ganhei dela dois presentes: o nome e a foto do aniversário de um ano do meu irmão, que ela recebeu da pessoa que o levou. Ela foi muito importante nessa busca, por me dar nome e rosto de quem estava com ele”, contou em entrevista ao Diário do Nordeste. 

Gêmeos se reencontram devido a uma fotografia (Foto: reprodução Facebook)

Quando conseguiu a primeira pista, Tomaz não parou mais. Logo foi atrás de mais informações e fez o que pôde para entender mais sobre o irmão. “Não consigo mensurar as vezes que busquei. Todas as minhas buscas foram por rede social, mas nunca conseguia encontrar. Virava noites na ferramenta que, para mim, era a mais fácil, a mais acessível, a internet”, contou. O irmão, que morava em Minas Gerais, sabia ainda menos sobre o gêmeo. Gabriel chegou a ouvir que o irmão havia falecido aos 12 anos, mas nunca acreditou.

Foi então que no dia 1º de junho de 2020, Tomaz percebeu um detalhe que nunca antes tinha visto: na parte de trás da fotografia dada pela mãe estava escrito o nome da mãe adotiva de Gabriel. Ao descobrir isso, o homem voltou com a procura. Em menos de 30 minutos de pesquisas no Facebook, ele conseguiu encontrar a mulher que teria adotado o irmão.

“Meu coração parecia saltar do peito, eu suava, até que vendo as fotos dessa senhora, me encontrei, me vi numa imagem com um senhor, do lado de um fusca. Eu entrei em pânico, pois não acreditava que aquilo estava acontecendo e que eu era tão parecido com ele. E ele comigo”, contou.

Gabriel estava trabalhando quando recebeu uma ligação da mãe, chorando, dizendo que o irmão havia o encontrado. . “Para mim, foi um grande choque, tive que me sentar e parar para raciocinar o que estava acontecendo. Minha cabeça ficou a um milhão e eu não conseguia acreditar nisso. Entrei em contato com ele pelo Facebook, e fomos para o Whatsapp”, contou Gabriel ao Diário do Nordeste. Ansioso, Gabriel aguardou o intervalo do trabalho e ali, no mesmo dia, já ligou para o irmão por meio de uma chamada de vídeo.

Desde então, os dois fazem questão de fazerem chamadas por vídeo com frequência, para contar tudo que podem e colocar a conversa de tantos anos em dia. Os dois relataram que a notícia foi um ponto de felicidade e esperança no meio do caos que estamos vivendo e os fizeram acreditar, mais uma vez, no amor.