João Doria anuncia flexibilização na quarentena e te explicamos como irá funcionar

O governador do estado de São Paulo, a partir de uma coletiva de imprensa realizada no início da tarde de hoje, contou o que irá mudar na nova fase

Resumo da Notícia

  • São Paulo irá sofrer alterações na quarentena em toda a região
  • Ao todo, serão cinco fases de flexibilização
  • Ainda é necessário aplicar todas as medidas de prevenção
  • Veja como irá funcionar
Serão aplicadas cinco fases de flexibilização (Foto: reprodução / vídeo Facebook)

No início da tarde desta quarta-feira, 27 de maio, o governador do estado de São Paulo, João Doria, realizou uma entrevista coletiva para falar as novas medidas de flexibilização da quarentena, que passam a valer a partir do dia 1º de junho. Nomeado de “retomada consciente”, as cinco fases serão feitas de forma gradual.

O governador frisou que não será exitado em dar “passos atrás para salvar vidas” e que a equipe “irá monitorar dia a dia esse processo”.  Vale lembrar que a flexibilização só poderá ser aplicada nos locais que tiverem disponibilidade de leitos, que respeitem o distanciamento social e ainda faça o uso obrigatório das máscaras.

“A nova fase não é um relaxamento, mas sim um monitoramento. Essa fase seguirá a orientação da ciência, medicina e saúde. Será gradual e segura”, explicou João Doria. Até o momento, foram abertos sete hospitais, contratação de diversos profissionais da área da saúde, 3,3 milhões de testes para coronavírus e 600 respiradores. Com isso, o secretário estadual da saúde ressalta que mais leitos de UTI poderão ser disponibilizados.

Dentre as cinco fases de flexibilização, a quinta seria a retomada total das atividades, mas ainda com todos os cuidados de prevenção. Na zona vermelha, a quarentena será mantida até o dia 15 de julho, na zona laranja pode haver flexibilizações, que serão informadas pelo prefeito da cidade, e na zona amarela a abertura de mais atividades, também definida pela prefeito.

A abertura da quarentena será feita de forma gradual (Foto: reprodução / vídeo Facebook)

Na primeira fase, apenas a construção civil e indústria não essencial poderá funcionar. Na segunda, incluí-se a flexibilização de atividades imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércios e shoppings. Na terceira, aplica-se também a abertura restritiva de bares e restaurantes e salões de beleza. Na quarta, será feita a retomada consciente ainda de academias, teatros e cinemas. Na quinta e última fase será realizada a abertura total de funcionamento, porém seguindo os protocolos de saúde.

Na flexibilização dos shoppings, que ainda é considerado uma restrição rígida, futuramente poderá funcionar com controle no fluxo de horários, apenas 20% da capacidade original do ambiente, limitação do uso de praças de alimentação e ainda a necessidade do distanciamento social.

O governo do estado de São Paulo ressalta a importância das medidas de prevenção (Foto: reprodução / vídeo Facebook)

Sobre o número de casos, a cidade de São Paulo apresenta 174 mil casos suspeitos, 3700 óbitos não confirmados, 3400 mortes por coronavírus. Até a última terça-feira, 26 de maio, as taxas de ocupação dos leitos de UTI chegou a 85%. Na próxima semana, serão acrescentados outros 550 leitos de UTI nos hospitais.

Vale lembrar também que a partir do plano São Paulo, é muito provável que as regiões do estado não estejam sempre na mesma fase. Até o momento, poucas cidades se encontram na terceira fase.

Fases em que as cidades do estado de São Paulo se encontram atualmente (Foto: reprodução / vídeo Facebook)

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!