Um ano após morte de Kobe Bryant e da filha, motivo do acidente é esclarecido

Em paralelo aos processos que ocorrem na justiça, as investigações sobre a queda do helicóptero, apontaram o motivo do acidente como “causa acidental”

Resumo da Notícia

  • No dia 26 de janeiro de 2020, um acidente causou a morte Kobe Bryant, da filha Gianna Maria, e outras seis pessoas
  • A a tragédia completa um ano, o culpado pelo ocorrido ainda não foi esclarecido
  • Confira o resultado das investigações - o relatório final sairá em fevereiro deste ano

No dia 26 de janeiro de 2020, um acidente causou a morte Kobe Bryant, da filha Gianna Maria, e outras seis pessoas. Hoje, o dia em que a tragédia completa um ano, o culpado pelo ocorrido ainda não foi esclarecido. Diversos processos referentes ao caso ainda estão em aberto na justiça.

-Publicidade-
O ex-jogador deixou a esposa e três filhas (Foto: reprodução / Instagram @vanessabryant)

Uma das principais ação do acidente é de Vanessa Bryant, viúva do ex-jogador, que pede uma indenização milionária à empresa responsável pelo translado, a Island Express Helicopters. Além dela, as famílias dos demais passageiros também buscam uma resposta judicial.

Já a família de Ara Zobayan, o piloto que estava responsável pelo helicóptero no acidente, alega que a tripulação foi responsável pela tragédia, uma vez que estes foram alertados sobre as difíceis condições de voo. No ano passado, a autópsia do piloto afirmou que ele estava sóbrio e que não houve falha mecânica, o que pode ser determinante para os próximos desfechos judiciais.

-Publicidade-

Segundo informações do Globo Esporte, em paralelo aos processos que ocorrem na justiça, as investigações sobre a queda do helicóptero, apontaram o motivo do acidente como “causa acidental”, o relatório final deve ser publicado em fevereiro de 2021.

Enxoval do bebê

Está preparando o enxoval ou a lista para o seu chá de bebê? Olha só essa novidade: você pode criar sua lista personalizada com produtos na Amazon, que pode ser compartilhada com amigos e familiares em várias plataformas. Além disso, você também pode ganhar 10% de desconto na compra na maioria dos itens! Saiba mais sobre a ferramenta e veja produtos para o enxoval do bebê CLICANDO AQUI. Para montar a sua lista, acesse AQUI!

Relembre o caso

Exatamente um ano, Kobe Bryant, um dos maiores ícones do basquete de todos os tempos, faleceu após um trágico acidente de helicóptero. O ex-jogador estava acompanhado da filha, Gianna, de apenas 14 anos, que também perdeu no ocorrido.

Em fevereiro de 2020, investigação do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos, afirmou que houve falha no motor do helicóptero. A partir desse dado, a agência passou a investigar uma possível desorientação do piloto no momento do acidente, uma vez que havia muita neblina no local da queda.

Porém em maio, o Departamento de Medicina Legal de Los Angeles divulgou o resultado da autópsia nos corpos das nove vítimas. De acordo com o órgão, o piloto estava sóbrio tanto para bebidas alcoólicas quanto para substâncias toxicológicas. Na época, diversos pilotos afirmaram que Zobayan não deveria estar voando a uma velocidade tão alta no nevoeiro ofuscante. A causa da queda deve ser divulgada em fevereiro, quando se encerram as investigações.

Antecipação do voo

O acidente que levou a vida de Kobe Bryant e da filha, Gianna, apresentou novos documentos sobre o dia 26 de janeiro. De acordo com o Daily Mail, foi mostrado nas investigações que uma atitude do jogador poderia ter mudado tudo antes do momento acontecer.

Em uma conversa no telefone com Cate Brady, assistente pessoal de Kobe, o jogador teria pedido para que o voo de helicóptero fosse antecipado em 45 minutos na noite anterior. O motivo seria de que ele gostaria de assistir a partida de um jogo pela manhã.

O episódio, que aconteceu por volta das 10h, ocorreu por causa de um nevoeiro, que confundiu o piloto Ara Zobayan. Segundo o jornal britânico, as investigações concluíram que a névoa se elevou exatamente 45 minutos mais tarde.

Kobe e Gigi não sobreviveram ao acidente (Foto: reprodução/ Instagram @kobebryant)

“Eu na verdade mudei a hora (do voo) na noite anterior, provavelmente por volta das 18h ou 19h, porque Bryant decidiu que queria assistir outro time jogar antes”, começou Cate. “Era para ser uma partida às 9h45, mas na noite anterior mudamos”.

Ela explicou ainda que a família do jogador nunca pressionou a empresa de helicópteros a sobrevoar em uma condição ruim: “Isso nunca ocorreu. Se houvesse um problema, eu era assistente de Kobe há tempo suficiente para me voluntariar a levar ele de carro até o local. Mas nunca tivemos isso”.

Após o acidente, Vanessa, esposa de Kobe entrou com um processo contra a empresa de helicópteros por não cancelar o voo em meio às condições daquele dia. O caso ainda segue em investigação e segue na Justiça.

-Publicidade-