Quase 600 salas de cinemas fecham as portas no Brasil em meio à surto de coronavírus

O número é associado a cerca de 16% das salas do país, o que desde a última semana acabou resultando em uma queda bastante significativa nas estreias de filmes

Resumo da Notícia

  • 577 salas foram fechadas em todo o país
  • Estima-se que todas as 3.500 salas do país sejam fechadas
  • No Rio de Janeiro, cinemas, teatros e casas de shows foram suspensos por 15 dias
  • Existem mais de 200 casos de covid-19 confirmados no Brasil
16% dos cinemas já foram fechados (Foto: Getty Images)

Após a notícia de que todos os filmes que iriam estrear na quinta-feira, 19 de março, serem adiados, o Brasil já tem quase 600 salas de cinema fechadas. De acordo com o portal Filme B, a pandemia resultou em 577 encerramentos de atividades, sendo 3.500 salas no total, o que se resume em cerca de 16%.

-Publicidade-

Em entrevista ao Estadão, Paulo Sérgio, diretor do portal, afirma que: “O prejuízo é enorme e todas as salas do Brasil vão fechar, é só uma questão de tempo”. A maioria dos estados já foram afetados, mas o Rio de Janeiro é o principal responsável pela suspensão, desde que Wilson Witzel, governador, determinou que cinemas, teatros e casas de shows seriam suspensas por pelo menos 15 dias.

Desde a última quinta-feira, 12 de março, o portal não notou, desde 2017, uma queda tão expressiva em um dia de estreia, resultando em apenas 86 mil telespectadores. Em São Paulo, seguindo as recomendações de autoridades, já estão fechados por tempo indeterminado o Espaço Itaú de Cinema, Petra Belas Artes e Cinesala.

-Publicidade-

Estado de emergência em São Paulo

São Paulo já tem 152 casos confirmados (Foto: Getty Images)

Nesta terça-feira, 17 de março, Bruno Covas decretou estado de emergência na cidade de São Paulo após o aumento de casos de coronavírus. O decreto já foi publicado no Diário Oficial: “Fica decretada situação de emergência no Município de São Paulo, para enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus, de importância internacional”, informa o prefeito.

De acordo com o decreto, a Prefeitura pode fazer a solicitação de bens e serviços de pessoas jurídicas e naturais, realizando um pagamento posterior e de forma justa. A medida, decretada por Bruno Covas, ainda autoriza a “dispensa de licitação para aquisição de bens e serviços destinados ao enfrentamento da emergência“, como informa o G1.

Na última segunda-feira, 16 de março, o rodízio de veículos da cidade já foram suspensos e começam a valer a partir de hoje por tempo indeterminado. O prefeito informou ainda que eventos privados que precisam de alvará também estão suspensos, assim como equipamentos culturais e de assistência social, com exceção dos que trabalham com moradores de rua.

O prefeito de São Paulo decretou estado de emergência por causa da pandemia de coronavírus (Foto: reprodução / G1)

Os servidores municipais acima de 60 anos e também os que realizam quimioterapia, poderão trabalhar de casa. Sobre os ônibus que circulam pela cidade, todas as vezes que eles chegarem ao final da linha, deverão ser higienizados para uma nova circulação.

Até o momento, existem 152 casos confirmados da doença no estado de São Paulo e outros 1.777 suspeitos. Ao todo, no Brasil, já são 234, assim como informa o boletim do Ministério da Saúde do dia 16 de março.

“Todos os dias os casos de coronavírus crescem de 40 a 50% aqui na cidade de São Paulo e isso nos leva a tomar mais medidas para conter a epidemia. Nós estamos entendendo todos os dias como é que a doença se comporta e, baseado nas equipes técnicas, temos ampliados as medidas para segurar o avanço do vírus”, explica Bruno Covas.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-