Saúde

Sarampo: governo lança nova campanha de vacinação para proteger seu filho

Saiba como tudo vai funcionar

Nathalia Lopes

Nathalia Lopes ,Filha de Márcia e Toninho

A nova campanha de vacinação contra Sarampo para crianças a partir dos 6 meses começou no dia 07 de outubro  (Foto: Getty Images)

Depois de registrar mais de 5.404 casos confirmados de sarampo nos últimos 3 meses, o Ministério da Saúde resolveu lançar mais uma campanha nacional de vacinação contra a doença. Com o objetivo de vacinar mais de 2,6 milhões crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos, as vacinas começam a ser distribuídas nessa segunda-feira, 07 de outubro.

Vale lembrar que a campanha vai acontecer em duas fases, do dia 07 a 25 de outubro, o grupo prioritário vai ser o que abrange bebês de seis meses até crianças menores de 5 anos. Dentro desse período ainda vai acontecer o dia D de vacinação, na data de 19 de outubro.

O segundo grupo, adultos de 20 a 29 anos, que não estão com a caderneta de vacinação em dia, podem ser vacinados a partir do dia 18 de novembro. Em nota, o Ministério ainda afirmou que foi feita, para essa campanha, a maior compra de vacinas dos últimos 10 anos. “Ao todo, 60,2 milhões de doses da tríplice viral foram adquiridas para garantir o combate à doença nos municípios”.

O próprio ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, comentou os objetivos da nova campanha. “Vacina é um direito da criança. Ela não consegue ir sozinha a uma unidade de saúde para se vacinar. Pais, responsáveis, avós chequem a carteira de vacinação como ato de respeito e de amor. Se estiver incompleta, leve a criança para tomar a segunda dose. Se a criança não tiver tomado nenhuma, ela deve tomar a primeira dose e, na sequência, a segunda”.

Dos dados do Sarampo 

Ainda na nota, além de informar que foram registrados os mais de 5.404 casos da doença. O Ministério também explicou que São Paulo foi o estado com a maioria desses casos. 97% desse número está distribuído por 173 municípios do estado de São Paulo, principalmente na região metropolitana. Os outros 176 se dividem em 18 estados: RJ, MG, MA, PR, PI, SC, RS, CE, MS, PB, PE, PA, DF, RN, ES, GO, BA e SE.

O Ministério estabeleceu algumas metas para que a vacinação seja incentivada. “Serão R$ 206 milhões disponibilizados aos municípios que atingirem 95% da cobertura vacinal em crianças de 1 a 5 anos”. E além de manter esse número, os prefeitos deverão informar, todo mês, o estoque das vacinas poliomielite, tríplice viral e pentavalente.

E mesmo que desde janeiro, 25,5 milhões de doses da vacina tríplice viral foram aplicadas, o governo pretende vacinar mais 39,9 milhões de brasileiros, 20% da população. As vacinas estarão disponíveis em postos de saúdes e para se vacinar e preciso levar apenas o seu cartão do SUS.

Vacine seu filho contra o Sarampo, é muito importante (Foto: Getty Images)

Por que se vacinar?

Enquanto é pequeno, seu filho não tem o poder de escolha sobre a vacinação e depende exclusivamente de você. Imunizar a família toda também funciona como um ato coletivo. Pense que, para uma doença conseguir sobreviver e se propagar, é preciso que outras pessoas estejam infectadas. Quanto mais gente protegida, o ciclo de um vírus ou bactéria se encerra e a doença pode ser erradicada. “Exceto para as doenças com exposição de risco individual, como o tétano e a febre amarela, a vacina funciona como uma arma coletiva da redução de circulação do agente infeccioso”, explica a pediatra Melissa Palmieri, membro da Sociedade Brasileira de Imunizações e coordenadora médica de vacinas do Grupo Hermes Pardini, filha de Antônio Carlos e Maria. Segundo a especialista, não faz sentido deixar que doenças erradicadas há décadas voltem a aparecer como ameaça.

Quais os sintomas do sarampo?

A fase inicial lembra um resfriado. A criança pode apresentar febre, coriza, tosse e até conjuntivite. É característico que a partir do quarto dia o corpo mancha de vermelho, começando pela cabeça. Trinta por cento das pessoas infectadas evolui para outras doenças mais sérias como a pneumonia. Não há uma medicação específica para tratar o vírus, o que dificulta a recuperação.

  • Febre alta, acima de 38,5°C;
  • Dor de cabeça;
  • Manchas vermelhas, que surgem primeiro no rosto e atrás das orelhas, e, em seguida, se espalham pelo corpo
  • Tosse;
  • Coriza;
  • Conjuntivite;
  • Manchas brancas que aparecem na mucosa bucal conhecida como sinal de koplik, que antecede de 1 a 2 dias antes do aparecimento das manchas vermelhas

Quais são as complicações do sarampo?

As complicações mais comuns do sarampo são:

  • infecções respiratórias;
  • otites;
  • doenças diarreicas;
  • doenças neurológicas.

Como o sarampo é transmitido?

transmissão do sarampo ocorre de forma direta, por meio de secreções ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Por isso, o contágio da doença é muito grande.  O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início do exantema. O vírus vacinal não é transmissível. O sarampo afeta, igualmente, ambos os sexos.

Como é feito o tratamento do sarampo?

Não existe tratamento específico para o sarampo. Mas Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda administrar a vitamina A, em todas as crianças, no mesmo dia do diagnóstico do Sarampo, nas seguintes dosagens:

  • Crianças menores de seis meses de idade – 50.000 Unidades Internacionais (U.I.): uma dose, em aerossol, no dia do diagnóstico; e outra dose no dia seguinte.
  • Crianças entre seis e 12 meses de idade – 100.000 U.I: uma dose, em aerossol, no dia do diagnóstico; e outra dose no dia seguinte.
  • Crianças maiores de 12 meses de idade – 200.000 U.I.: uma dose, em aerossol ou cápsula, no dia do diagnóstico; e outra dose no dia seguinte.

Para os casos sem complicação é importante manter a hidratação e a ajuda nutricional. Muitas crianças precisam de quatro a oito semanas, para recuperar o estado nutricional normal. As complicações como diarreia, pneumonia e otite média, devem ser tratadas de acordo com normas e procedimentos estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Em 2017, o Governo do Estado de São Paulo divulgou um alerta sobre como evitar o sarampodurante viagens e em casos se surto. As recomendações são:

– Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir
– Lavar as mãos com frequência com água e sabão, ou então utilizar álcool em gel
– Não compartilhar copos, talheres e alimentos
– Procurar não levar as mãos à boca ou aos olhos
– Sempre que possível evitar aglomerações ou locais pouco arejados
– Manter os ambientes frequentados sempre limpos e ventilados
– Evitar contato próximo com pessoas doentes

Informações retiradas do site do Ministério da Saúde.

Leia também:

Sarampo: aumento dos casos são provocados por mentiras sobre a vacina

Vacinação: tire suas dúvidas sobre febre amarela, dengue, sarampo e vacinação

Vacina: campanha contra sarampo e febre amarela vai até julho

Fique por dentro do conteúdo do Youtube da Pais&Filhos: