Mulher que sequestrou bebê em hospital quebra o silêncio e fala pela primeira vez sobre o caso

Ela se apresentou como enfermeira no local e ficou lá por 12 horas

Miguel foi levado do hospital por Daiane (Foto: reprodução / O São Gonçalo)

Na última quinta-feira, 28 de novembro, uma mulher de 23 anos, após ter sido presa por sequestrar um recém-nascido no Hospital Regional de Taguatinga (HRT), No Distrito Federal, contou pela primeira vez quais foram os motivos de ter pego o bebê.

-Publicidade-

Depois de dar um depoimento à polícia, Daiane Fonseca dos Santos, que é estudante de fonoaudiologia, disse que estava muito “abalada psicologicamente” e “não queria decepcionar o namorado”, pois havia sofrido um aborto espontâneo há cerca de três meses, de acordo com o G1.

Segundo Luiz Henrique Sampaio, o delegado responsável pelo caso, Daiane sabia o que estava fazendo e circulou pelo hospital por pelo menos 12 horas antes de realizar o crime. Miguel Pietro foi levado na madrugada depois da mulher ter se apresentado como enfermeira no hospital.

-Publicidade-

Entenda o caso

O recém-nascido, Miguel Pietro, assim que veio ao mundo foi sequestrado por Dayane dos santos (Foto: reprodução / metropoles)

A cabeleireira Larissa Almeida, teve o filho sequestrado após o parto. O bebê foi levado de uma maternidade, localizada em Brasília, na madrugada da última quinta-feira, 28 de novembro, em uma sacola e horas depois foi achado. Com final feliz mãe diz que perdoa a sequestradora e não guarda mágoas.

“Eu a perdoo. Porque agora sou mãe, tenho um pensamento, um sentimento diferente. Se ela fez isso, tem um motivo. Não sei se ela tem filho ou queria ter. Porque ela realmente queria ter um menino, mas não podia ser o meu, né? Ela tem que fazer o dela”, disse Larissa ao metrópoles.

O recém-nascido, Miguel Pietro, assim que veio ao mundo foi sequestrado por Dayane dos santos, que entrou no hospital dizendo que era acompanhante de paciente. O menino nasceu Hospital Regional de Taguatinga (HRT), no Distrito Federal, e foi recuperado depois de 6 horas quando a sequestradora tentou dar entrada no HRT com o menino.

Dayane teria perdido o filho em agosto e desde então não consegue engravidar. Ela foi presa por tentar se passar como a mãe de Miguel. Ela confessou o crime e disse estar arrependida.

“Houve falha do hospital. É necessário tomar medida de maior controle da saída de pessoas, como a instalação de câmeras e revistas na saída”, disse o delegado, Luiz Henrique Sampaio, responsável pelo prosseguimento do caso.

Leia também:

Mulher é presa após sequestro de bebê em maternidade de Manaus

Menina de 7 anos inventa sequestro e justificativa faz dois inocentes passarem a noite na cadeia

Menina de 3 anos é levada para Holanda depois da mãe ter sido acusada de sequestro

-Publicidade-