Sexo na gravidez: pode ou não?

As contraindicações só existem em casos específicos; saiba quais

Esclarecemos todas as dúvidas envolvendo a atividade sexual durante a gestação (Foto: iStock)

O sexo durante a gravidez é polêmico e envolve diversos tabus e mitos. Não há nenhuma restrição médica quanto ao ato sexual na gestação, porém em algumas situações específicas não é recomendado.  De modo geral, até mesmo no início, fase mais delicada em que geralmente as mulheres temem um possível aborto, não há limitações quanto ao sexo.

Em casos de sangramento durante a gravidez, principalmente no início, existe uma contraindicação padrão para que a mulher não tenha relação sexual. Depois que a situação se normalizar e o sangramento acabar, a atividade sexual pode voltar normalmente.

Existem outras anormalidades, não frequentes, que podem acontecer principalmente do meio para o final da gestação em que a mulher também deve abster-se de sexo, como: dilatação precoce, placenta prévia e a bolsa rota.

A libido da mulher durante a gestação é variável, pois a sexualidade feminina é complexa, e nesse período se amplia, pois como o psicológico muda muito nessa fase, diferentes acontecimentos podem causar angústia ou até mesmo deixar a mulher estimulada.

É importante lembrar que no primeiro trimestre da gravidez é a fase em que a gestante tende a ficar mais enjoada, indisposta, sem apetite e sonolenta. Com isso, a maioria das mulheres não tem muito apetite sexual. A partir do segundo trimestre que a situação se normaliza e todos os sintomas piores acabam.

Saiba mais no novo vídeo do Dr. Igor Padovesi da série Gravidez Sem Neura!

 

 

Leia também: 

Gestante pode dirigir? 

4 benefícios do sexo na gravidez que vão fazer você querer qualquer tabu

Sexo na gravidez: 4 motivos para você não deixar de fazer